Blog UJS Ceará

O blog de política da juventude cearense!

Tasso Jereissati nada tem a dizer à juventude; Pega o beco, galeguim  

Sem espaço na política após a derrota para o Senado, o tucano Tasso Jereissati deu as caras na última terça-feira, dia 28/02, para falar aos jovens empresários em um encontro promovido pela Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL). Mas o que Tasso tem para falar à juventude? Qual é a mensagem que o coronel tem para motivar os jovens, sejam eles empresários, trabalhadores ou estudantes?

Sua gestão foi marcada pelo sucateamento da educação. Foi Tasso quem criou o tele-ensino, substituindo os professores por uma televisão. No Senado Federal, Tasso apresentou uma emenda propondo a destinação de parte da UNILAB (Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira) para o Estado da Bahia, quando o projeto original previa toda sua estrutura para o Ceará.

Na Era Tasso, a política para a juventude estava centrada na ponta do cassetete. Sem diálogo com os movimentos sociais, coube a polícia o papel de interlocutora do Estado. Agora, de uma hora para outra, o tucano resolve aparecer para dar conselhos aos jovens do Ceará. Não foi suficiente ouvir das urnas o apelo da juventude para que se aposente de vez. Então, fica o recado: “Pega o beco, galeguim!”

Flávio Vinícius é presidente estadual da UJS do Ceará

Leia mais...

Inácio é o preferido dos internautas para Prefeitura de Fortaleza  

Duas enquetes promovidas pelo jornalista Eliomar de Lima em seu blog, mobilizaram internautas de Fortaleza para indicar qual seu candidato preferido na eleição para Prefeito de Fortaleza. Nas duas enquetes foram computados quase 180 mil votos. A primeira sondagem envolveu nomes do PT, foi vencida pelo deputado Artur Bruno, na segunda, sem os petistas, o mais votado foi o senador do PCdoB, Inácio Arruda.

O senador Inácio Arruda, pré-candidato do PCdoB para disputar as eleições de Fortaleza, foi o grande vencedor da segunda enquete do Blog Eliomar de Lima, sobre “Quem seria o melhor nome da oposição ou aliados para Prefeitura de Fortaleza”. Inácio recebeu 40.844 votos, ou seja, 30,88%, do total de 132.225 votantes. Em segundo lugar na enquete aparece Ferruccio Feitosa (PSB), com 21,44% (28.357 ); seguido por Alexandre Pereira (PPS), com 20,55% (27.189); Marcos Cals (PSDB), com 20,25% (26.777); Renato Roseno (PSOL), com 2,9% (3.877); Pastor Neto Nunes (PSC), com 1,5% (2.066); Heitor Férrer (PDT), com 1,2% (1.697); Nenhuma das opções, o,5% (682); Marcelo Mendes (PTC), com 0,31% (423); Danilo Forte (PMDB), com 0,13% (175); e Moroni Torgan (DEM), com 0,1% (138).

Há cerca de duas semanas o mesmo blog fez outra enquete , apresentando apenas os nomes dos seis pré-candidatos do PT, em que foram computador 46.683 votos. A consulta sobre o candidato do PT foi vencida pelo deputado federal Artur Bruno , que obteve larga vantagem sobre o Secretário Municipal de Educação, Elmano Freitas. Enquanto o candidato preferido da Prefeita de Fortaleza obteve 15.373 indicações (32%), o deputado federal, o mais votado em Fortaleza nas eleições de 2010, foi o preferido com 28.723 votos (61%) de internautas. Os demais pré-candidatos receberam as seguintes quantidades de indicações: José Pimentel – 1.279 (2,7%), Camilo Santana – 425 (0,91%), Guilherme Sampaio – 422 (0,90%) e Acrísio Sena – 166 (0,35%), além de 295 internautas que não optaram por nenhum dos nomes sugeridos. O partido ainda discute como será definido seu representante, se por meio de uma prévia entre os filiados, como deseja o grupo da Prefeita Luizinanne Lins, presidente do PT/CE, ou através de um encontro municipal de delegados petistas, como sugere o grupo do deputado federal José Guimarães, vice-presidente da sigla no estado.

Disputa difícil

Para o Secretário Estadual de Comunicação do PCdoB no Ceará, Inácio Carvalho, “a enquete não tem rigor científico, mas serve como um termômetro para medir, num certo público de internautas, que acessa a um blog específico, a aceitação dos candidatos que atualmente se apresentam para a disputa eleitoral”. Carvalho acrescenta que “no caso dos candidatos petistas não houve muita oscilação, porém na segunda enquete pode-se obervar grande variação de posições, menos em relação ao senador Inácio Arruda, que assumiu a dianteira ainda no início da sondagem e nunca mais perdeu a posição, chegando a ter 70% das indicações e terminando com 31%, percentual muito próximo dos números que circulam nos bastidores sobre pesquisas eleitorais não divulgadas oficialmente”. Carvalho destaca que a segunda enquete mobilizou muito mais internautas e que a votação do senador comunista equivale a 87% do total de indicações para todos os candidatos petistas.

Para o dirigente estadual do PCdoB a enquete é um ensaio da grande disputa eleitoral de 2012. Inácio Carvalho considera que o quadro eleitoral ainda está bem longe de uma definição, mas não deverá surgir nenhuma grande novidade entre os prováveis candidatos indicados nas convenções partidárias no mês de junho. Porém, em relação a enquete encerrada nesta terça feira, o dirigente comunista chama atenção para o fato de que alguns candidatos demonstraram um poder de mobilização surpreendente, enquanto outros foram pouco votados. “Não esperava um desempenho tão expressivo dos pré-candidatos Marcos Cals (PSDB), Alexandre Pereira (PPS) e Ferrucio Feitosa (PSB), sendo que este jamais disputou uma eleição, enquanto os outros dois, apesar de integraram forças em descenso, tem um certo recall de outars disputas. Por outro lado, nomes como Renato Roseno (PSOL), Heitor Férrer (PDT) e até Neto Nunes (PSC), que já disputaram várias eleições, tiveram desempenho pífio”.

Carvalho considera que este resultado pode refletir a força de poderosas estruturas que estarão a disposição de algumas candidaturas a Prefeito de Fortaleza. “O fato das indicações do nome de Inácio se aproximaram das pesquisas que circulam nos bastidores demostra que nosso senador tem uma aceitação real junto aos eleitores, mas o resultado geral indica que não se pode, nem de longe, subestimar o poder econômico e azeitadas máquinas eleitorais que serão acionadas. A disputa será muito difícil, mas Inácio tem demonstrado grande potencial”, concluiu o dirigente do PCdoB cearense.


Veja abaixo o resultado das duas enquetes

Quem seria o melhor nome da oposição ou aliados para Prefeitura de Fortaleza?

Inácio Arruda (PCdoB) - 40.844 (30,88%)
Ferrúcio Feitosa (PSB) - 28.357 (21,44%)
Alexandre Pereira (PPS) - 27.189 (20,55%)
Marcos Cals (PSDB) - 26.777 (20,25%)
Renato Roseno PSOL) - 3.877 (2,9%)
Pastor Neto Nunes (PSC) - 2.066 (1,5%)
Heitor Férrer (PDT) - 1.697 (1,2%)
Nenhuma das opções - 682 (0,5%)
Marcelo Mendes (PTC) - 423 (0,31%)
Danilo Forte (PMDB) - 175 ( 0,13%)
Moroni Torgan (DEM) - 138 (0,10%)
Total - 132.225 votos.



Qual o melhor nome do PT para a Prefeitura de Fortaleza?

Artur Bruno – 28.723 (61%)
Elmano Freitas – 15.373 (32%)
José Pimentel – 1.279 (2,7%)
Camilo Santana – 425 (0,91%)
Guilherme Sampaio – 422 (0,90%)
Nenhuma das opções – 295 (0,63%)
Acrísio Sena – 166 (0,35%)
Total 46683 votos



Matéria publicada no site www.vermelho.org.br

Leia mais...

Cine Ceará recebe inscrições até 31 de março  

Estão abertas as inscrições para a 22ª edição do Cine Ceará – Festival Ibero-Americano de Cinema, que acontece entre os dias 1 e 8 de junho, em Fortaleza. Os interessados podem inscrever seus longas e curtas-metragens até o dia 31 de março. O regulamento completo e o formulário de inscrições estão disponível no site http://cineceara.com.

Requisitos

Os curtas-metragens devem ter sido realizados por produtores e/ou diretores brasileiros ou radicados no país há mais de três anos e têm que ter até 20 minutos de duração, em qualquer formato. Devem ainda ser obras concluídas a partir de janeiro de 2011 e não podem ter participado de processos seletivos nas edições anteriores do Cine Ceará. Já os longas devem ter duração mínima de 70 minutos, finalizados a partir de 2010 por produtores e/ou diretores ibero-americanos (países da América Latina e o Caribe, Portugal e Espanha), em formatos profissionais.

Categorias

Concorrem ao troféu Mucuripe os filmes inscritos nas categorias longa-metragem (divididos em filme, direção, fotografia, edição, roteiro, som, trilha sonora original, direção de arte, ator, atriz e prêmio da crítica) e curta-metragem (filme, direção, roteiro, produção cearense e prêmio da crítica).

Premiação

Os prêmios da crítica para melhor curta e longa-metragem serão concedidos por um júri formado por membros da Abraccine – Associação Brasileira de Críticos de Cinema. Para o melhor longa, de acordo com o júri oficial, será concedido um prêmio especial no valor de U$10.000,00 (dez mil dólares). Haverá ainda a entrega do troféu Mucuripe de melhor curta da mostra Olhar do Ceará, para o qual haverá um júri de estudantes das universidades de Fortaleza.

Realização

O 22° Cine Ceará é uma promoção da Universidade Federal do Ceará, através da Casa Amarela Eusélio Oliveira, com apoio do Governo do Estado do Ceará e do Ministério da Cultura. A realização é da Associação Cultural Cine Ceará e conta com patrocínio de empresas públicas e privadas.

Fonte: Diário do Nordeste

Leia mais...

Centrais e empresários traçam agenda contra desindustrialização  

Representantes das centrais sindicais e do empresariado oficializaram nesta segunda-feira (27), em São Paulo, o calendário de lutas para enfrentar o problema da desindustrialização no país.

Entre março e maio, trabalhadores e patrões estarão nas ruas de alguns estados para debater com o restante da sociedade a grave situação da indústria e suas consequências para o desenvolvimento da nação. Para iniciar esse processo, as entidades decidiram também lançar um manifesto em defesa da produção e do emprego nacionais.

Para o presidente da CTB, Wagner Gomes, a partir do momento em que trabalhadores e empresários estiverem nas ruas, haverá um cenário muito claro diante de toda a sociedade. “De um lado teremos o setor produtivo; do outro estarão os especuladores. Para que lado o governo irá?”, questionou o dirigente.

Wagner Gomes, que esteve acompanhado do vice-presidente Nivaldo Santana e do secretário de Imprensa e Comunicação da CTB, Eduardo Navarro, destacou que há também uma luta interna no governo sobre o rumo necessário para o Brasil se desenvolver. “Este nosso pacto entre trabalhadores e empresários tem força para definir esse rumo, pois a briga é bastante complicada. Os rentistas certamente não vão ficar apenas olhando. Certamente eles tentarão nos dividir”, sustentou.

Ausência ministerial

Inicialmente, a reunião desta segunda-feira deveria ter contado com a presença do ministro da Indústria e do Desenvolvimento, Fernando Pimentel. Havia o interesse de empresários e sindicalistas em debater com uma autoridade do governo federal o problema da desindustrialização. No entanto, na última sexta-feira soube-se por meio da assessoria do Ministério que Pimentel não viria.

A ausência de Pimentel gerou críticas durante a reunião. “Não deveríamos estar em lados opostos. Precisamos de todos unidos”, afirmou o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, Paulo Skaf, anfitrião da reunião. Paulo Pereira da Silva, presidente da Força Sindical, criticou a postura do governo ao evitar o debate.

“Para parte do governo, o atual cenário está OK. Mas nós temos pressa, pois empresas estão fechando e não é de hoje que temos alertado o governo”, afirmou. “Se a pauta da reunião fosse o agronegócio, certamente Pimentel estaria aqui”, criticou o presidente da CUT-SP, Adir dos Santos.

Calendário e manifesto

Os representantes das centrais e do empresariado já definiram quatro importantes datas para se manifestarem contra a desindustrialização. Santa Catarina será o primeiro estado, em 28 de março. No dia seguinte (29/3), será a vez do Rio Grande do Sul. Em 4 de abril, São Paulo. Em 10 de maio, Brasília.

Além desse calendário (que ainda pode ser ampliado, já que outros estados podem levar a campanha às ruas), as centrais e os empresários definiram a redação final de um manifesto, chamado de “Grito de alerta em defesa da produção e do emprego brasileiros”, documento no qual reúnem sua análise sobre o atual cenário industrial brasileiros e expõem sua proposta para enfrentar essa situação.

Para os líderes sindicais e empresariais, é preciso trazer a sociedade civil para esse debate, de modo a convencer a população dos riscos envolvidos. “Nosso movimento precisa fazer com que todos percebam qual é o Brasil que queremos”, afirmou o presidente da UGT, Ricardo Patah. “A unidade que estamos construindo aqui é algo que está no centro do desenvolvimento do Brasil”, destacou o presidente da CGTB, Ubiraci Dantas.

Por sua vez, Luiz Aubert Neto, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), resumiu com propriedade as intervenções dos empresários presentes à reunião. “Não tem governo no mundo que não se mova a partir de pressão. O governo Dilma tem que ver que há algo diferente aqui, ver que nossa movimento não é brincadeira”, finalizou.

Leia abaixo o manifesto:


Grito de alerta em defesa da produção e do emprego brasileiros

A estagnação da indústria de transformação em 2011 é algo
extremamente grave e preocupante. Por este motivo, entidades patronais e de
trabalhadores se unem para ressaltar que apesar do forte crescimento do
consumo, o setor industrial reduziu drasticamente a geração de empregos,
agudizando ainda mais o processo de desindustrialização no Brasil.

Juros altos, câmbio valorizado, guerra fiscal favorecendo as
importações, entre outros fatores, incentivam artificialmente a entrada de
produtos importados, fazendo com que a indústria pouco contribuísse para o
crescimento do PIB em 2011. Como consequência, o crescimento total da
economia deverá ficar abaixo de 3%, após crescimento de 7,5% em
2010.Esses dados revelam o descompasso entre as ações promovidas pelo
governo, e a realidade da indústria que demanda medidas emergenciais e
efetivas.

A desindustrialização não se iniciou nos últimos anos, mas vem se
intensificando desde 2008. Em 1985, a indústria de transformação representou
27% do PIB, em 2011 deve ter chegado a menos de 16% e mantida a atual
situação, chegaremos ao fim de 2012 com menos de 15%. O declínio da
indústria coloca o país numa situação perigosa e vulnerável, com dificuldade de
gerar empregos de qualidade e salários decentes para as presentes gerações
e para as vindouras. Não se pode ignorar o impacto futuro que a redução da
atividade da indústria brasileira, e da capacidade de consumo dos
trabalhadores afetados, poderá ter sobre a expansão sustentável do emprego
no comércio e serviços.

Não há como negar a importância da indústria para a transformação
social de uma nação e a melhoria nas condições de vida de seus habitantes.
Educação de qualidade, serviço de saúde eficiente, maior oferta de habitação
e transporte, segurança e salários dignos são realidades dos habitantes de
países ricos, que não descuidam de sua indústria, pelo contrário, defendem-na
e incentivam-na com unhas e dentes, pois sabem que o setor industrial é vital
para o desenvolvimento e bem estar da sociedade, senão, vejamos a atual
posição do governo norte-americano conclamando para a defesa e
recuperação da indústria de seu país.

Infelizmente o Brasil não tem dado a devida atenção àquilo que
arduamente construiu. Basta lembrar que em 1980 o parque industrial brasileiro
era equivalente aos parques de Tailândia, Malásia, Coréia do Sul e China
somados. Em 2010, a indústria brasileira representou menos de 8% em
comparação com as indústrias desses mesmos países.

Estamos regredindo e voltando a ser uma economia produtora e
exportadora de produtos primários, cujas cotações dependem dos humores da
economia internacional. As mercadorias importadas invadem nosso mercado,
enquanto as exportações de produtos industrializados se reduzem. Em 2011, o
déficit na balança comercial de manufaturados foi de US$ 93 bilhões.

Em 2030 o Brasil contará com uma população economicamente ativa de
150 milhões de pessoas. Precisamos, desde já, fortalecer os setores que serão
capazes de gerar emprego de qualidade para esse contingente de brasileiros.
As atividades do setor financeiro, da moderna agricultura e da extração mineral
expandiram-se e tornaram-se economicamente importantes, porém sem uma indústria pujante não teremos capacidade de gerar postos de trabalho decentes
na quantidade que o Brasil demandará no futuro próximo.

O ano de 2012 se inicia com a atividade industrial estagnada, com
perspectivas de crescimento anual próximo a zero. Neste cenário, mesmo que
a demanda continue em expansão, novamente a economia brasileira como um
todo não terá forças para crescer acima de 3%.

A sociedade brasileira não pode se comportar de forma passiva e
resignada ante a tudo isso, como se décadas de desenvolvimento e a história
nada significassem. Neste momento de crise internacional, crescimento de
demanda é uma das coisas mais raras do mundo. Precisamos garantir que a
demanda brasileira seja atendida pela produção brasileira, gerando empregos
de qualidade e melhorando a distribuição de rendano Brasil.

Visando contribuir para a construção de um Brasil próspero e com boas
oportunidades para todos, é que estamos reunidos - representantes dos
trabalhadores e dos empresários - para este alerta em defesa da produção
brasileira e de um ambiente econômico favorável ao crescimento.

Assinam este manifesto:

FIESP/CIESP, Força Sindical, UGT, CTB, CGTB, CNM/CUT,
Sindicato Metalúrgicos de São Paulo, Sindicato dos
Metalúrgicos do ABC, SINAFER, SIMEFRE, SINDITEXTIL/ABIT,
ABINEE, ABIMAQ, ABIQUIM, ABIPEÇAS, SICETEL, FIEP, FIEMG.

MEDIDAS EMERGÊNCIAIS PARA RETOMADA DA INDÚSTRIA NACIONAL
I - MEDIDAS MACROECONÔMICAS

1- Redução da taxa básica de juros;
2- Redução do Spread;
3- Adotar medidas urgentes para atenuar a sobrevalorização cambial.

II- INVESTIMENTO PRODUTIVO COMO PROMOTOR DO CRESCIMENTO
ECONÔMICO

4- Desoneração integral do investimento produtivo de todos os tributos
federais e estaduais;
5- Conteúdo local mínimo efetivoem todas as compras governamentais e
privadas quando beneficiadas por financiamento público e/ou
incentivos fiscais, e em setores estratégicos;
6- Disponibilização de linhas de financiamento com volume adequado e
custos isonômicos aos concorrentes internacionais;
7- Perenização do PSI
8- Incentivar linhas de financiamento de longo prazo pelo setor bancário
público e privado.
9- Utilização do compulsório não remunerado como instrumento de
incentivo ao desenvolvimento de linhas privadas de financiamento de
longo prazo.10-Utilização das compras governamentais, inclusive da Petrobras, como
indutoras da produção nacional, da agregação de valor e da geração
de emprego e renda, com aplicação de margensde preferência para
todos os setores industriais em percentuais que efetivamente
incentivem a produção nacional.
11-Inovação tecnológica: extensão dos incentivos fiscais a todas as
empresas, independente do regime de tributação (simples, lucro
presumido e lucro real) da indústria de transformação, e oferta de
financiamento com volume adequado e custos isonômicos aos que
dispõem os concorrentes internacionais.

III- DEFESA COMERCIAL - INVERSÃO DO ATUAL QUADRODEINVASÃO
DAS IMPORTAÇÕES NO MERCADO BRASILEIRO

12-Fortalecimento das estruturas do MDIC relacionados à defesa comercial
(DECOM, DECEX e DEINT), assegurando os recursos humanos e
materiais necessários.
13- Disponibilizar as informações das operações de importação e
exportação, como forma da sociedade fiscalizar operações de
comércio exterior;
14- Incrementar o uso de instrumentos de defesa comercial, incluindo
medidas compensatórias, licenças não automáticas, valoração
aduaneira, salvaguardas e antidumping.
15-China: manter o tratamento como economia que não opera em
condições predominantes de mercado e definir medidas de defesa
comercial específicas.
16- Implementar a abertura e a aplicação de medidas de defesa comercial
comfundamento em ameaça de dano.
17- Aprofundar a regulamentação técnica, sanitária e fitossanitária, bem
como assegurar a fiscalização de seu comprimento por parte das
importações.

IV - FIM DOS INCENTIVOS FISCAIS ÀS IMPORTAÇÕES

18- Guerra dos portos: Aprovação da resolução 72 do Senado Federal,
com definição na própria resolução do conceito de industrialização
conforme art.4º, inciso I, do RIPI, e alíquota residual de 4% na origem.
19- Regimes tributários especiais: Fim dos incentivos concedidos às
importações.

V- CRESCIMENTO INDUSTRIAL COMO PRIORIDADE DA POLÍTICA
ECONÔMICA – METAS E CONTRAPARTIDAS

20-Criação de metas anuais de aumento do nível de emprego na indústria
de transformação.
21-Definição de metas anuais de crescimento da produção física e da taxa
de investimento da indústria de transformação.
22-Incorporação dessas metas como objetivo prioritário da política
econômica.

Fonte: www.vermelho.org.br

Leia mais...

MEC define piso nacional de R$ 1.451 para professores em 2012  


Ficou em R$ 1.451 o valor do piso nacional do magistério para 2012, um aumento de 22,22% em relação a 2011. O reajuste, concedido pelo Ministério da Educação (MEC), foi calculado com base no crescimento do valor mínimo por aluno do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) no mesmo período, conforme determina a lei que criou o piso. Para barrar um projeto de lei que ameaça reduzir esse valor, a categoria organiza uma grande paralisação nacional em meados de março.


A lei determina que nenhum professor pode receber menos do que o valor determinado por uma jornada de 40 horas semanais. Questionada na Justiça por governadores, a legislação foi confirmada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em 2011.

Entes federados argumentam que não têm recursos para pagar o valor estipulado pela lei. O dispositivo prevê que a União complemente o pagamento nesses casos, mas, desde 2008, nenhum estado ou município recebeu os recursos porque, segundo o MEC, não conseguiu comprovar a falta de verbas para esse fim.

No ano passado, o piso era de R$1.187 e, em 2010, R$ 1.024. Em 2009, primeiro ano da vigência da lei, o piso era R$ 950. Alguns governos estaduais e municipais criticam o critério de reajuste e defendem que o valor deveria ser corrigido pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), como ocorre com outras carreiras.

Paralisação

Na Câmara dos Deputados, tramita um projeto de lei que pretende alterar o parâmetro de correção do piso para a variação da inflação. A proposta não prosperou no Senado, mas na Câmara recebeu parecer positivo da Comissão de Finanças e Tributação. A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) prepara uma paralisação nacional dos professores para os dias 14,15 e 16 de março com o objetivo de cobrar o cumprimento da Lei do Piso, entre outras reivindicações.

Em sua página da internet, o presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), Roberto Leão, faz um chamamento à categoria para aderir ao movimento, que está sendo chamado de Greve Nacional da Educação. Confira o vídeo abaixo.

Com Agência Brasil e CNTE

Leia mais...

PAC: Dilma anuncia investimentos de quase R$ 2 bilhões no Ceará  

Em visita a Fortaleza, a presidente Dilma Rousseff anunciou nesta segunda-feira (27) que três das mais importantes obras em andamento no estado do Ceará vão receber R$ 1,983 bilhão da União.

Serão destinados R$ 1,6 bilhão para expansão do metrô de Fortaleza, R$ 239 milhões para o eixo de integração entre o Açude do Castanhão e o Complexo Industrial e Portuário de Pecém e R$ 124 milhões para a construção de moradias do Projeto Vila do Mar, em área de risco da capital cearense.

De acordo com dados divulgados pelo Ministério das Cidades, a implantação dos 12 quilômetros (km) da Linha Leste do metrô de Fortaleza está orçada em R$ 3,034 bilhões, dos quais R$ 1,6 bilhão sairão do Orçamento Geral da União (OGU), R$ 633,9 milhões virão de contrapartida do governo estadual e R$ 800 milhões serão financiados. No Orçamento, estão incluídas a aquisição de 20 trens e a construção de 12 estações subterrâneas e uma de superfície.

As obras do eixo de integração Castanhão-Pecém, incluídas no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), vão viabilizar melhorias nos 55,1 km que faltam para concluir a ligação de canais. O trabalho vai consumir R$ 259 milhões e deve estar terminado até junho do ano que vem. A estimativa do Ministério das Cidades e do governo do Ceará é que a obra deve beneficiar aproximadamente 4,2 milhões de pessoas.

O terceiro financiamento previsto, no valor de R$ 124 milhões (R$ 101,9 milhões da União e R$ 22,3 milhões de contrapartida estadual) será para conclusão do Projeto Vila do Mar, destinado à remoção de famílias que habitam áreas de risco, realocando-as em conjuntos habitacionais. De acordo com números da Caixa Econômica Federal, das 1.710 habitações previstas no projeto para populações de baixa renda, 264 foram entregues em outubro do ano passado. Falta concluir 1.446 habitações, além das obras de saneamento e urbanização, que deverão estar prontas até agosto de 2012.

Dilma deixará o Ceará às 18h20, com destino a Pernambuco, e deve desembarcar na Base Aérea de Recife por volta das 19h30. Na capital pernambucana, ela participará da inauguração de 480 moradias do Programa Minha Casa, Minha Vida.

Fonte: Agência Brasil

Leia mais...

Plenária Municipal convoca VI Congresso da UJS/Fortaleza  



No último sábado, 25/02, a União da Juventude Socialista de Fortaleza realizou sua plenária de mobilização para o VI Congresso da Municipal da UJS/Fortaleza, que ocorrerá no dia 05 de maio de 2012. Definindo como meta filiar e reunir mais de 2.500 jovens na capital cearense.

A Plenária Municipal contou com mais de sessenta militantes dos variados locais da cidade e aprovou como tema do congresso "Nas Redes e nas Ruas, Lutando pelo Brasil dos Nossos Sonhos", mesmo tema nacional e estadual.

A atividade foi marcada pela irreverência da juventude socialista, essa que fez diversas intervenções políticas, históricas e culturais, terminando a sua atividade com a pintura da bandeira da UJS e com apresentação do grupo de Hip-Hop, Conexão Gangster.

Para Cláudia Lima, secretária de organização, a plenária foi o ponto inicial de fortalecimento e crescimento da UJS para os seu congresso. "Temos como meta filiar mais de 2.500 jovens e organizar o maior número possível de núcleos, coletivos e frentes de atuação na cidade".

Leia mais...

Ceará Faz Ciência" inicia período para inscrições de trabalhos  


Estudantes apresentarão trabalhos relacionados com a vocação natural de cada região. Durante dois meses o projeto movimentará o interior com feiras e mostras científicas

Começou nesta quarta (15/2) o período para inscrições de trabalhos no projeto Ceará Faz Ciência. Coordenado pelo Governo do Estado, através da Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior (Secitece), a iniciativa vai popularizar a Ciência e a Tecnologia nas regiões Norte, Inhamuns, Cariri e Litoral Leste e identificar jovens talentosos, estimulando o seu interesse por essa área. O projeto conta com o apoio do CNPq/MCTI, Seduc, Prefeitura de Sobral e Ibyte.

O período para a submissão dos projetos vai de 15/02/2012 a 30/03/2012, e se dará, exclusivamente, através de preenchimento de formulário no hotsite do evento (http://eventos.sct.ce.gov.br). No ato da inscrição deverá ser entregue o projeto com, no máximo, duas páginas, de acordo com o modelo disponível no site.

O Ceará Faz Ciência se dará de forma itinerante, com uma seleção de 100 trabalhos científicos – 25 em cada uma das quatro regiões – de estudantes do ensino fundamental, ensino médio e técnico, de escolas públicas e privadas, a serem expostos para divulgar os de maior destaque no Estado do Ceará.

Estímulo à vocação natural das regiões

Os trabalhos deverão, preferencialmente, estar relacionados com a vocação natural de cada região, conforme definido no edital de participação. Na Região Norte, o foco será a Astronomia e Metalmecânica, e no Cariri, os temas trabalhados devem envolver Geoparques e Arqueologia. Já no Litoral Leste, os alunos enfatizarão nos projetos a Psicultura e a Aquicultura. Energias Alternativas e Inclusão Digital são os assuntos a serem trabalhados pelos estudantes da região dos Inhamuns.

As apresentações dos trabalhos serão realizadas nos meses de maio e junho. Em cada uma das quatro regiões, serão premiados trabalhos com 1°, 2° e 3° lugares do Ensino Médio, Ensino Fundamental I e Ensino Fundamental II. Os alunos pertencentes a equipe vencedora na categoria Ensino Médio e Fundamental II irão receber bolsa de Iniciação Científica Júnior durante um ano.

Os projetos vencedores de cada região serão expostos durante a Exposição Ceará Faz Ciência, a ser realizada em outubro, em Fortaleza, por ocasião da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia.

“O Ceará Faz Ciência configura-se como um importante instrumento tanto para a interiorização da C&T, quanto para a melhoria do ensino e o despertar de vocações científicas e tecnológicas. A partir deste trabalho de iniciação científica, há um estímulo para que nossos jovens se interessem por uma carreira profissional que envolva a C&T, dentro das vocações naturais do nosso Estado”, frisa o secretário da Secitece, René Barreira.

Para inscrições e mais informações sobre o projeto Ceará Faz Ciência:
http://eventos.sct.ce.gov.br | 85 3101-6466 | sct@sct.ce.gov.br

Leia mais...

Comissão do Senado vota projeto de Inácio que cria bolsa-artista  


Logo após a audiência pública que realiza às 10h da próxima quarta-feira (29), com o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, para saber os planos e diretrizes do ministério para os próximos anos, a Comissão de Educação, Esporte e Cultura (CE) realiza reunião para avaliar pauta de 12 itens. Entre eles o Projeto de Lei do Senado (PLS) 404/2011, que cria a bolsa-artista. A proposta, de autoria do senador Inácio Arruda (PCdoB-CE), tem voto favorável da relatora, senadora Lídice da Mata (PSB-BA).

A bolsa tem como objetivo "proporcionar formação e aprimoramento de artistas amadores e profissionais em diversas áreas de atuação", nos campos das "artes literárias, musicais, cênicas, visuais e audiovisuais, em suas variedades eruditas e populares". As bolsas destinam-se ao desenvolvimento das habilidades dos artistas, e não a projetos culturais específicos. Os candidatos precisam ter idade mínima de 12 anos na data da apresentação da candidatura. Os candidatos com menos de 18 anos devem estar regularmente matriculados em instituição de ensino ou já terem concluído o ensino médio.

A relatora explica que, "para se habilitar à concessão da bolsa, o candidato deve encaminhar, no ato da inscrição, um plano anual de formação ou aprimoramento no campo artístico e cultural em que atuar, contendo curriculum vitae, detalhamento das atividades a serem realizadas e os objetivos e metas a alcançar". A bolsa-artista será concedida pelo prazo de um ano. As inscrições para a obtenção da bolsa ocorrerão anualmente, mediante publicação em edital, www.senado.gov.br/noticias/principal.aspxe a seleção dos contemplados será feita por uma comissão composta por representantes do governo federal e de entidades vinculadas à comunidade artística nacional. A proposta será votada em decisão terminativa na CE.

Ainda na pauta da comissão está o PLS 504/2011, de autoria do senador Humberto Costa (PT-PE), que estabelece números máximos de alunos por turma na pré-escola e no ensino fundamental e médio. De acordo com a proposição, as turmas de pré-escola e dos dois anos iniciais do ensino fundamental terão até 25 alunos, enquanto as demais terão até 35 alunos. A relatora, senadora Maria do Carmo Alves (DEM-SE), apresentou voto favorável à aprovação da matéria, que também tem decisão terminativa na CE.

A CE examina ainda duas propostas que homenageiam senadores mineiros falecidos nesta Legislatura. O Projeto de Resolução 39/2011 denomina Museu Histórico Senador Itamar Franco o Museu Histórico do Senado Federal. De autoria do presidente da Casa, senador José Sarney (PMDB-AP), a proposta tem voto favorável do relator, senador Pedro Simon. Já o PLS 602/2011 denomina "Rodovia Senador Eliseu Resende" o trecho da BR-494 entre o município de Oliveira (MG) e o de Angra dos Reis (RJ). O parlamentar era natural da cidade mineira. A proposta, de autoria do senador Clésio Andrade (PR-MG) - suplente de Eliseu -, tem voto favorável do relator, senador João Ribeiro (PR-TO), e também tem decisão terminativa na CE.

Fonte: Agência Senado

Leia mais...

Dilma Rousseff visita obras no Ceará nesta segunda (27)  


Dilma Rousseff (PT) realiza sua terceira visita como presidenta ao Ceará, a segunda em menos de um mês. Na programação, ela cumprirá agenda nos municípios de Caucaia, Maracanaú e Fortaleza. As três grandes obras a serem visitadas por Dilma, hoje, somam investimento de R$ 2 bi.

A presidenta Dilma Rousseff estará no Ceará nesta segunda-feira (27/02) e participará da cerimônia de assinatura da ordem de serviço para início das obras do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) Parangaba-Mucuripe, com investimento de R$ 179,5 milhões. Dilma acompanhará as ações de conclusão da Linha Sul e assinará liberação de recursos para a Linha Leste do Metrô de Fortaleza.

Durante a tarde, Dilma Rousseff segue para o município de Caucaia, onde visita obras de construção da nova Estação de Tratamento de Água Oeste (ETA-Oeste), trecho V do Eixão das Águas, que é financiada com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). A construção da ETA-Oeste atende a necessidade de aumentar a oferta de água para a zona oeste da Capital e reforçar o abastecimento no município de Caucaia, locais estes que passaram por um acelerado crescimento demográfico nos últimos anos. Após sua conclusão, prevista para outubro de 2012, estima-se que a obra irá beneficiar 1,2 milhão de habitantes.

Mais tarde, a presidenta visitará as obras de requalificação da orla de Fortaleza e a construção de um conjunto habitacional no bairro Vila do Mar, local onde se encontra a sétima maior favela do Brasil: o Pirambu. Os investimentos previstos para o projeto da Vila do Mar são da ordem de R$ 142 milhões, sendo R$ 92 milhões do PAC, R$ 20 milhões do Fundo Nacional de Habitação de Interesse Social e R$ 30 milhões de uma parceria com o Governo do Estado de Ceará.

O roteiro da presidenta

10h30: Dilma Rousseff embarca na estação Raquel de Queiroz (Pajuçara), em Maracanaú.

10h40: A presidente desembarca na estação Virgílio Távora (antiga Novo Maracanaú), no mesmo Município.

11h: Tem início a cerimônia oficial na estação Virgílio Távora, em que Dilma.

14h30: Dilma visita obras de uma estação de tratamento em Caucaia.

16h: Visita ao Mirante Rosa dos Ventos, na comunidade Coqueirinho, em Fortaleza.

16h20: Dilma visita um dos conjuntos habitacionais do Vila do Mar, na avenida Francisco Sá.


De Fortaleza,
Carolina Campos (com informações de sites locais)


Fonte: www.vermelho.org.br

Leia mais...

Luis Carlos Paes: É preciso barrar a velha agenda conservadora  

Estamos no segundo ano de um terceiro governo democrático que conta com a participação de forças políticas comprometidas com um Novo Projeto Nacional de Desenvolvimento para o País. Diante disso, é preciso barrar a velha agenda liberal-conservadora, derrotar o PL 1992/2007 e impulsionar as reformas democráticas e progressista.

Por Luís Carlos Paes de Castro*

Lula, em 2002, assinou a famosa “Carta aos Brasileiros” onde assumia o compromisso de manter aspectos fundamentais da política macroeconômica então vigente. Em 2003, ao receber uma herança maldita de FHC e forte pressão do mercado, entrega o Banco Central aos tucanos e dá seguimento a aspectos da agenda anterior, destacando-se a aprovação de reforma previdenciária (PEC 40/2003), que penalizou sobremaneira os servidores públicos. Ou seja, o pacto efetuado nos governos passados, que transferia ganhos fabulosos para os grandes bancos e todos aqueles que construíram fortunas com a especulação financeira, foi mantido.

Em agosto de 2003, na ocasião da votação da PEC 40/2003, o líder da bancada comunista na Câmara, o deputado federal Inácio Arruda (PCdoB-CE), reafirmava a “discordância do partido quanto à prioridade destinada aquela reforma além de expressar profundas divergências com o seu teor”, acrescentando que “o PCdoB empreendeu junto à base de sustentação do governo intensa ação política com o objetivo de alterar o seu conteúdo, visando resguardar direitos dos servidores públicos, dos trabalhadores em geral e os interesses do Estado brasileiro.”

Acentuava ainda que, na Comissão Especial que examinou a referida PEC, a bancada comunista havia apresentado seis emendas fundamentais à preservação desses direitos adquiridos. Em seguida, quando o relatório final foi apresentado para votação do plenário da Câmara, arrematava que “a despeito das modificações ocorridas no projeto original, e que o atenuaram, o relatório ainda se encontra aquém das propostas e críticas apresentadas pelo PCdoB e outras forças partidárias e sociais. Permanece uma reforma fiscalista, que atinge direitos dos servidores, pune os inativos, não sinaliza para o fortalecimento do Estado nacional e que apresenta, ademais, um sentido privatista.”

Apesar desse posicionamento nitidamente contrário a oportunidade e conteúdo da reforma, o então líder da bancada comunista afirma que “o voto do PCdoB não pode desconsiderar a situação turbulenta e tensa que se registra no presente momento em nosso País. O governo Lula, que ajudamos a eleger, e do qual participamos, ainda enfrenta, no âmbito da economia e da vida social, os efeitos danosos legados pelos governos de FHC.” Depois de acusar a articulação da oposição de direita com o objetivo de ameaçar a estabilidade do governo, Inácio, em nome da bancada comunista, avalia que “o governo Lula , ainda nos primeiros meses de seu mandato, precisa de respaldo tanto para resistir às investidas de uma exacerbada oposição conservadora, como também para promover as mudanças indispensáveis que o nosso povo tanto anseia – e pelas quais votou em Lula.”

E conclui, “Por essas razões o voto do PCdoB é de apoio ao governo Lula, mas assinala forte discordância com relação à reforma da previdência em pauta. Votamos sim no governo cujo presidente há pouco foi eleito por nosso povo, levantando a bandeira da esperança fundamentada nas mudanças. Pensamos que o voto contrário, nesse instante, poderia fortalecer as forças que atuam para desestabilizá-lo.” Ao final, o líder do PCdoB ainda acentua que “ao proclamar as razões de seu voto, o PCdoB reafirma a convicção de que o governo Lula deve alterar sua agenda na direção do compromisso de mudança que assumiu com toda a nação, buscando uma nova orientação em matéria de política macroeconômica.”

Juros

Ao não considerar o apelo do PCdoB, o Brasil continuou na liderança mundial no que diz respeito ao valor real da taxa básica de juros, definida periodicamente pelo Banco Central. Esta realidade também tem contribuído diretamente para uma supervalorização do real frente ao dólar, além do ininterrupto crescimento nominal da dívida pública. Estes fatores combinados tem sido os maiores responsáveis pelo travamento de nosso crescimento econômico que tinha condições favoráveis para estar em patamar mais elevado. Sofre a indústria nacional, sofrem exportadores e sofrem principalmente os trabalhadores que poderiam ter mais e melhores empregos e, consequentemente, melhores salários e novas conquistas sociais.

O Brasil continua sendo um país profundamente injusto. E o pequeno crescimento do período recente, apesar de ter retirado da miséria alguns milhões de brasileiros, não foi capaz de alterar em profundidade a perversa distribuição da renda nacional em favor de rentistas e poderosos monopólios nacionais e estrangeiros.

Engana-se, portanto, quem pensa que os problemas do país residem na existência de uma parcela de trabalhadores assalariados qualificados, vinculado ao setor público. São centenas de milhares de profissionais graduados, muitos com mestrado, doutorado ou pós-doutorado, são cientistas, professores universitários, médicos, engenheiros, advogados, auditores, etc, que ingressaram no Estado brasileiro pela via do concurso público e prestam relevantes serviços à sociedade. Muitos fizeram opção consciente pelo serviço público, mesmo tendo a possibilidade de melhores remunerações no setor privado. A estabilidade e a aposentadoria integral poderiam ser contabilizados como principais atrativos que mitigavam perdas econômicas.

Existe uma compreensão elitista e preconceituosa em determinados segmentos da sociedade de que bons médicos não devem se dedicar ao serviço público e sim aos hospitais, clínicas e consultórios privados. Bons auditores também devem trabalhar nas empresas de auditoria externa, nacionais ou estrangeiras, e não no Banco Central, na CVM ou na Receita Federal do Brasil. O mesmo valeria para advogados, engenheiros, professores universitários, e assim por diante. Serviço público deve ser coisa para pobre e os servidores portanto devem ser profissionais de terceira categoria, com remuneração baixa e direitos limitados. É um ponto de vista próprio de quem defende um Estado mínimo, com baixo poder de intervenção, sem capacidade reguladora e refém do mercado financeiro.

Durante os governos neoliberais, os trabalhadores do setor público foram profundamente achincalhados e desrespeitados, tendo sofrido perdas irreparáveis em sua imagem, em seus direitos e remuneração quando prevalecia a idéia de que o Estado deveria ser mínimo para o povo e máximo para a elite rentista.

Estas concepções, entretanto, apesar de toda a crise do sistema capitalista no mundo, continuam fortes no Brasil, ecoando diariamente na mídia monopolizada e o que é pior, encontrando ainda algum espaço no atual governo e na sua ampla base de apoio. O que não se pode admitir é que essa visão possa encontrar terreno fértil para prosperar nos partidos de esquerda, particularmente nas hostes comunistas.

Passados nove anos da votação da PEC 40/2003, pesam ainda sobre o País, impedindo o seu crescimento a política macroeconômica conservadora executada pelo Banco Central, ainda controlado pelo mercado financeiro, e os resquícios da agenda liberal que visa tornar menos relevante o papel do Estado nacional, estimulando novas privatizações e o fortalecimento da ação de Organizações Sociais, OSCIPs e ONGs na Saúde, na Educação, no Esporte e em diversos outros segmentos. O ano de 2011 foi um exemplo didático, a economia e a geração de emprego ficaram abaixo do esperado devido as opções adotadas pelo atual governo: elevação de juros, cortes orçamentários e reajuste pífio do salário mínimo, entre outras medidas contracionistas.

Agora, quando a presidente fala que é preciso acelerar, é contraditório o reajuste abaixo da inflação dos aposentados, um novo corte no orçamento, o arrocho no salário dos servidores públicos, que vão para o terceiro ano sem reajuste, enquanto os bancos obtêm os maiores lucros da história e o país paga R$236 Bi para rolar a dívida em 2011.

É incoerente também querer aprovar um projeto (PL 1992/2007) que entrega o direito do servidor aposentado a ter uma velhice digna à loteria das bolsas e do mercado financeiro, completando a reforma privatista de 2003. Justificar a mudança argumentando, preconceituosamente, que os servidores são privilegiados e precisam ser equiparados aqueles da iniciativa privada é no mínimo risível. São dois sistemas de trabalho diferentes, com ingresso, vencimentos e direitos diferenciados. Na iniciativa privada, por exemplo, não há teto salarial nem os trabalhadores ficam anos sem reajuste. O direito de livre negociação e de greve para os servidores, assegurado pela Carta Magna, até hoje não foi regulamentado. E, no que diz respeito a aposentadoria, já que avaliam que a do servidor publico é mais benéfica ao trabalhador do que a da iniciativa privada, é de se perguntar, por que então não inverter o rumo da história e começar a melhorar aposentadorias e pensões do setor privado, deterioradas ao longo dos anos, aproximando-as daquelas do setor público? Reajustes superiores a inflação e aumento do teto de contribuição seriam medidas que certamente significariam muito mais justiça social. É lógico que ao fazer uma clara opção pelos aposentados o país não poderia continuar pagando R$236 bi de juros aos rentistas como fez no ano que passou.

Por último, mesmo que a determinação fosse essa, de nivelar por baixo, não haveria pior momento do que esse. Quando o Tesouro precisa economizar recursos para investimentos, como afirmam economistas ligados ao governo, aprovar o PL 1992 e instituir o Fundo de Previdência Complementar dos Servidores Públicos Federais (Funpresp) vai significar, no curto e médio prazos, redução de receita, na medida em que os servidores deixarão de contribuir com 11% sobre o seu salário integral e, por outro, aumento de despesa pelo desembolso mensal do Tesouro para o Fundo.

Assim, por todas as razões expostas aprovar o PL 1992 é um contra-senso, penaliza os servidores, reduz o poder de investimento do Estado no curto e médio prazo e não faz justiça social. O PL 1992 é mais uma herança da agenda liberal-conservadora que precisa ser derrotada. E agora, diferentemente de 2003, não existem justificativas políticas que expliquem um posicionamento diferente por parte das forças mais consequentes com um novo projeto de País.

A nova agenda que precisa ser implementada é a que liberta o país dos ditames do capital rentista e do monopólio dos meios de comunicação por um punhado de grupos empresariais privados.

O fortalecimento do Estado e a mudança da política macroeconômica é essencial para promover o crescimento econômico do país, com distribuição de renda e valorização do trabalho, o que pode unir amplos setores políticos e sociais comprometidos com a produção, o desenvolvimento e o progresso.

* Luís Carlos Paes de Castro é presidente do Comitê Municipal do PCdoB de Fortaleza

Fonte: www.vermelho.org.br

Leia mais...

Detenta aprovada no Enem é autorizada a frequentar UFC  


Cynthia Corvello poderá frequentar a universidade e concluir o curso de licenciatura em História sob monitoramento eletrônico ou escolta policial

A detenta Cynthia Corvello foi autorizada pela Justiça do Ceará a frequentar a universidade. A decisão foi concedida na manhã desta sexta-feira, 24.Ela cumpre regime fechado no Instituto Penal Feminino Desembargadora Auri Moura Costa e poderá frequentar as aulas do curso superior em História, na Universidade Federal do Ceará (UFC), considerando que ela foi aprovada no Exame Nacional de Ensino Médio (Enem), em outubro passado.

De acordo com a Secretaria da Justiça e Cidadania (Sejus), a decisão é inédita no Ceará e o parecer aponta que a concessão tomou por base o princípio da individualização da pena. Ou seja, a garantia de o preso ter oportunidades e os elementos necessários para ser reinserido na sociedade.

No caso de Cynthia, foi considerada a execução de atividades de trabalho dentro da Unidade, onde ela é responsável pela biblioteca e por projetos de leitura e atividades culturais. A Sejus também considera que ela apresenta bom padrão de comportamento e de relacionamento carcerário.

Cynthya foi condenada a 25 anos e quatro meses pela co-autoria de um duplo homicídio praticado em Fortaleza, no ano 1993. Ela foi aprovada no Enem, chegando a obter 900 pontos na prova de redação, cujo total é de 1000. A detenta poderá frequentar a universidade e concluir o curso de licenciatura em História sob monitoramento eletrônico ou escolta policial.


Fonte: O POVO Online

Leia mais...

Desaceleração do PIB reduz ritmo de geração de emprego em janeiro  


Em janeiro foram gerados 118,8 mil empregos formais, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Embora expressivo, o número é 21,8% menor que o resultado registrado em igual mês de 2011. O ano de 2011 terminou com um saldo de 1,94 milhão de novas vagas, resultado considerado muito bom, embora abaixo da meta do governo, que apostava na criação de 2,4 milhões de novos postos de trabalho.

Na indústria, o volume de empregos gerados em janeiro foi de 37,4 mil, número 29,5% inferior na mesma comparação. No comércio, o saldo foi negativo em 36,3 mil demissões, movimento que é sazonal, mas representou o dobro de vagas fechadas em relação a janeiro do ano passado, quando o saldo foi negativo em 18 mil empregos.

Rotatividade

Os números do Caged, divulgados nesta quinta-feira, 23, pelo Ministério do Trabalho, apontam que, no mês passado, houve 1.711.490 admissões e 1.592.595 desligamentos, movimento que reflete a alta rotatividade do trabalho no país. O resultado de janeiro deste ano é o mais baixo para o mês desde 2009, quando houve 101.748 cortes de postos de trabalho, em função dos impactos da crise internacional no país.

Entre os setores pesquisados, o melhor resultado foi registrado no ramo de serviços (61.463), construção civil (42.199), indústria de transformação (37.462), agricultura (12.318) e serviços industriais de utilidade pública, com a criação de 974 vagas. Em outro sentido, comércio registrou demissão líquida de 36.345 postos, mesmo comportamento verificado no grupo administração pública, que perdeu 370 vagas em janeiro.

Desaceleração da economia

A redução do ritmo de emprego está associada à desaceleração da economia verificada desde o segundo semestre do ano passado. O PIB estagnou no terceiro trimestre. O resultado médio dos últimos três meses ainda não foi divulgado, mas não deve ficar muito longe de zero.

De acordo com estimativas do Banco Central, o país deve terminar o ano com um modesto avanço de 2,79% na produção. Diante do quadro internacional, não é um desempenho desastroso. Porém, fica bem atrás dos resultados obtidos pela China e Índia, que devem ter crescido em torno de 9,5% e 7,8% se as previsões feitas pelo FMI em setembro do ano passado não forem desmentidas pela realidade.

Política econômica

Não restam dúvidas de que um dos fatores que explicam a desaceleração da economia e consequente redução da geração de emprego é a política econômica conservadora do governo, fundada no tripé juros altos, superávit primário e câmbio flutuante. Assustado com a inflação, o governo Dilma iniciou o mandato capitulando à pressão do mercado financeiro. Elevou a meta de superávit primário e promoveu cinco rodadas de alta da taxa básica de juros (Selic), que saiu de 10,75% no início de janeiro para 12,50% em agosto.

No segundo semestre, diante do agravamento da crise, o Banco Central mudou a orientação monetária e deu início a uma política de redução de juros, que inicialmente foi recebida com fortes críticas pelos porta-vozes do mercado financeiro. Hoje, a Selic está em 10,5%, abaixo da taxa nominal herdada pelo atual governo. Porém, a política fiscal restritiva, com custosos superávits para pagar os juros da dívida eterna, foi radicalizada em relação ao governo anterior. Já o câmbio flutuante, que contribui para a valorização do real, virou dogma.

Fonte: Vermelho com agências

Leia mais...

Aprovado no vestibular, 1º aluno com Down da UFG rompe preconceito  

Ser aprovado em uma faculdade pública é um sonho de muitos jovens que se tornou realidade para Kallil Assis Tavares, 21 anos, que na próxima segunda-feira começa a estudar geografia no campus de Jataí da Universidade de Goiás (UFG). Para a instituição, a conquista de Kallil é ainda mais importante e precisa ser reverenciada, já que ele é o primeiro aluno com Síndrome de Down a ingressar na universidade. "Isso demonstra que nós estamos conseguindo superar o preconceito, que infelizmente ainda existe em nossa sociedade", afirma a coordenadora do Núcleo de Acessibilidade da UFG, professora Dulce Barros de Almeida.

Kallil não teve correção diferenciada, concorreu de igual para igual com todos os outros candidatos. "Apenas pedimos para que a universidade disponibilizasse um monitor para ler a prova e que as letras dos textos fossem maiores porque ele tem baixa visão", disse a mãe do jovem, Eunice Tavares Silveira Lima. Segundo ela, Kallil sempre foi estudioso e desde criança gostava de mapas.

"No segundo ano do ensino médio ele decidiu que iria fazer vestibular para geografia. Nós apoiamos a escolha, mas ficamos surpresos com a aprovação, era uma prova muito difícil", afirmou Eunice. Ela ainda disse que o filho estudou apenas dois anos em uma escola especial. Com 5 anos de idade ele foi para um colégio privado de ensino regular. "O colégio não tinha nenhum aluno com Down, mas quando há vontade de se trabalhar a inclusão, se dá um jeito. Foi disponibilizado um monitor e os professores sempre apoiaram meu filho", conta.

Ela acredita que o fato de Kallil ter estudado em uma escola regular vai contribuir com a adaptação na universidade. "Não sou contra as escolas especiais, mas elas devem servir como um apoio, um lugar para onde os alunos vão no contraturno", explica. A mãe ainda disse que não cria expectativas sobre como será o desempenho dele daqui em diante. "Não estamos programando nada especial para o Kallil quando começar as aulas. De acordo com as necessidades que ele apresentar, nós como família e a universidade teremos de nos adaptar", disse ao destacar que o filho pode precisar do auxílio de um monitor durante as atividades em aula.

A coordenadora do Núcleo de Acessibilidade da UFG concorda sobre a importância de alunos com necessidades especiais frequentarem escolas regulares e diz que a universidade tem a obrigação de atender todas as exigências desses estudantes para que eles cumpram com o direito de fazer um curso superior. "Nós temos um aluno cego no curso de Ciência da Computação que recebe acompanhamento de um monitor. Se essa for a necessidade de Kallil, com certeza estaremos prontos para disponibilizar isso".

O núcleo para atender alunos com necessidades especiais na UFG foi criado em 2010. De lá para cá, a instituição ganhou 15 estudantes surdos, que fazem o curso de Letras, além do jovem cego. A professora Dulce espera que o caso de Kallil sirva de exemplo para que nas próximas seleções mais estudantes com necessidades semelhantes sintam-se motivados em fazer um curso superior. "Isso incentiva as famílias a acreditar no potencial que essas pessoas têm. E cabe a nós, como educadores, mostrar que o preconceito não pode existir mais", completa.

Fonte: Terra

Leia mais...

Estudantes já podem se inscrever em lista de espera do ProUni  


A partir de hoje (22), os estudantes que se inscreveram para disputar uma bolsa do Programa Universidade para Todos (ProUni) e não conseguiram o benefício podem se cadastrar na lista de espera. O instrumento será usado pelas instituições de ensino para preencher as bolsas que tenham sobrado.

Os estudantes devem acessar o site do programa e clicar na opção “manifestar interesse na lista de espera”. O prazo se encerra sexta-feira (24). Nesta edição, o ProUni ofereceu 194 mil bolsas de estudo e mais de 1,2 milhão de alunos candidataram-se para receber o benefício.

Para participar do ProUni, é necessário ter cursado todo o ensino médio em escola pública ou ter estudado em colégio particular com bolsa integral. As bolsas integrais são destinadas àqueles com renda familiar per capita mensal de até 1,5 salário mínimo. Já o benefício parcial pode ser pleiteado por quem tem renda familiar per capita de até três salários mínimos.

fonte: Agência Brasil

Leia mais...

Restaurante Universitário servirá jantar a todos os estudantes  

O ano letivo começa com boas notícias para a comunidade acadêmica. A partir de 27 de fevereiro, os refeitórios do Restaurante Universitário (RU) da Universidade Federal do Ceará passam a funcionar, no período noturno, para todos os estudantes regularmente matriculados na Instituição, tanto na Capital quanto no Interior do Estado. Antes da novidade, apenas os moradores das Residências Universitárias eram contemplados com o jantar no RU.

As refeições noturnas terão cardápio semelhante ao do almoço, mas com algumas adaptações nutricionais. O preço continuará o mesmo: R$ 1,10. Basta que o estudante apresente o cartão de acesso ao RU, devidamente carregado com créditos, para servir-se do jantar. O horário de funcionamento do RU no período da noite ainda será definido pela Coordenação do Restaurante.

Cadastramento

Alunos novatos da UFC, em Fortaleza, que desejam adquirir o cartão de acesso ao RU poderão fazer o cadastramento a partir do próximo dia 23, nos refeitórios do Campi do Pici e Benfica. O horário de atendimento é de 10h às 13h, sendo necessário apresentar um documento de identidade. No Interior, o mecanismo ainda não foi implantado.

Fonte: Portal da UFC

Leia mais...

Bloco “Maria Vem com as Outras” em defesa das mulheres  

As mulheres cearenses estão sendo convocadas para o carnaval da avenida Domingos Olímpio. É o bloco “Maria Vem com as Outras”, organizado pela União Brasileira de Mulheres – UBM/Ceará, junto com outras entidades dos movimentos sociais. O bloco desfilará na terça-feira de Carnaval (21/02), apresentando muita animação, irreverência e criatividade.



O bloco “Maria Vem com as Outras” foi lançado no carnaval de 2011, como um chamado ao dia Internacional da Mulher. O objetivo é conscientizar a população sobre as bandeiras feministas, entre elas a efetivação da Lei Maria da Penha, a conclusão e estruturação do Hospital da Mulher, a instalação do Conselho Municipal da Mulher e a criação de mais delegacias da mulher.

A coordenadora da UBM-CE, Francileuda Soares, informa que a concentração do “Maria Vem com as Outras” acontece na esquina da rua Barão do Rio Branco com av. Domingos Olímpio, a partir das 16 horas.

Contatos: Francileuda Soares (8764.7262) e Nagyla Drumond (8616.7049)

De Fortaleza,
Emília Augusta

Fonte: www.vermelho.org.br

Leia mais...

Inácio Arruda saúda aprovação do Estatuto da Juventude  

Depois de três horas de discussão e polêmica em torno da confecção da carteira estudantil, a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) aprovou, nesta quarta-feira (15/02), o parecer favorável sobre o Estatuto da Juventude (PLC 98/11).


Ao defender a aprovação do Estatuto, o senador Inácio Arruda (PCdoB-CE) afirmou que “a solução para os problemas vividos pela juventude não está apenas na edição de um diploma legal, mas ela também passa por esse marco jurídico, que favorecerá a criação de políticas públicas sociais destinadas aos jovens brasileiros”.

O parlamentar destacou a necessidade de ações governamentais específicas que atendam as demandas, “na área educacional, sobretudo, que possibilitarão, por exemplo, a inserção, de forma digna, do jovem no mundo do trabalho”.

O projeto dispõe sobre os direitos dos jovens, os princípios e diretrizes das políticas públicas de juventude, o estabelecimento do Sistema Nacional de Juventude e dá outras providências. É o resultado de um intenso trabalho desenvolvido pelos parlamentares que atuam nas questões juvenis, a começar pela formação da Frente Parlamentar em defesa da Juventude, que fez gestões visando à criação da Comissão Especial Destinada a Acompanhar e Estudar Propostas de Políticas Públicas para a Juventude, instalada em 7 de maio de 2003.

A matéria vai à Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado.

Fonte: Assessoria do Senador Inácio Arruda (PCdoB)

Leia mais...

UJS/Fortaleza realizará Plenária de mobilização para o Congresso.  


A União da Juventude Socialista de Fortaleza convida a todos (as) para participar da Plenária, que convocará o 6° Congresso da UJS em Fortaleza. A atividade acorrerá no dia 25 de fevereiro, sábado, a partir das 15h30min, no Pátio da Reitoria da UFC que se localiza na Avenida da Universidade, 2853, Benfica.

O convite é destinado aos militantes, às bases organizadas e as diversas frentes de atuação da entidade. Na ocasião será decidida a data e as diretrizes do congresso municipal. Após a plenária também haverá um momento de descontração com um piquenique para animar os jovens socialistas.

Para Niara Farias, presidente da UJS/Fortaleza, o Congresso da UJS é o momento que a entidade reafirma o socialismo como a única alternativa para sociedade, constrói novas reivindicações e renova as antigas bandeiras de lutas. “O congresso da UJS é marco de discussões, de reafirmação do socialismo, de mobilização da sua militância, vamos também aproveitar para confraternizar e festejar chegada dos novos filiados.”

Congresso da UJS, etapa nacional, estadual e municipal

O 16º Congresso Nacional da UJS ocorrerá na cidade do Rio de Janeiro, entre os dias 7 e 10 de junho de 2012. Com o tema “Nas Redes e Nas Ruas, Lutando pelo Brasil dos Nossos Sonhos”.

Já o 12º Congresso da UJS do Ceará está marcado para os dias 18 a 20 de maio em Fortaleza. A meta estadual é reunir e filiar mais de 7.500 jovens em vários municípios que a UJS está organizada. Vale ressaltar que participar da etapa municipal e estadual é pré-requisitos para etapa nacional.


Leia mais...

Estatuto da Juventude é aprovado na CCJ do Senado  


Aprovado nesta quarta-feira (15) pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, o Estatuto da Juventude garante e protege direitos de jovens de 18 a 21 anos, entre eles a garantia de descontos de ingressos para eventos públicos, inclusive partidas de futebol da Copa do Mundo de 2014 e competições dos Jogos Olímpicos de 2016. A matéria será apreciada ainda pelas comissões de Assuntos Sociais; de Educação, Cultura e Esporte e pela de Direitos Humanos e Legislação Participativa.

O projeto aprovado na CCJ estabelece que a meia-entrada será distribuída da seguinte forma: 40% dos ingressos para eventos financiados exclusivamente com recursos privados e 50% dos ingressos para eventos bancados com verbas públicos – tanto na área esportiva quanto na artística e cultural.

O relator da matéria, Randolfe Rodrigues (PSOL-PA), ao ser questionado sobre a indefinição quanto ao direito de estudantes à meia-entrada durante a Copa do Mundo de 2014, um dos impasses para aprovação na Câmara da Lei Geral da Copa, foi enfático: "O estudante tem direito a meia-entrada em todos os eventos esportivos como foi aprovado aqui na CCJ. Não me interessa o que pensa a FIFA. O Brasil é soberano e aqui é a casa legislativa de um país soberano".

Carteira estudantil

Sob o argumento de evitar fraudes na confecção de carteiras estudantis, Randolfe determinou, em seu relatório, que a identificação estudantil seria expedida exclusivamente pela Associação Nacional de Pós-Graduandos, pela União Nacional dos Estudantes (UNE) e pela União Brasileira de Estudantes Secundaristas (Ubes), bem como por entidades estudantis estaduais e municipais a essas entidades filiadas. Estabeleceu ainda que o documento terá selo de segurança personalizado, com padrão único definido pelas entidades estudantis nacionais.

Fonte: Rede Brasil Atual

Leia mais...

Plenária Estadual convoca o 12º Congresso da UJS/CE  

Na manhã ensolarada do ultimo domingo, 12, reunida em um sítio no distrito de Camará, na cidade de Aquiraz, localizada na Região Metropolitana de Fortaleza, a União da Juventude Socialista do Ceará (UJS/CE) realizou sua Plenária Estadual que convocou o 12º Congresso da UJS do Ceará para os dias 18, 19 e 20 de maio deste ano, em Fortaleza. A meta é reunir e filiar mais de 7.500 jovens em todo o Estado.A Plenária Estadual, que contou com a participação da secretária nacional de organização da UJS, Monique Lemos, dedicou especial atenção a atual crise do sistema capitalista e destacou o momento promissor que atravessa o Brasil, ressaltando o papel da juventude no processo de aprofundamento do projeto que foi iniciado com a eleição de Lula em 2003 e que tem sua continuidade com a eleição da presidente Dilma, em 2010.

A dirigente nacional apresentou as diretrizes políticas do 16º Congresso Nacional da UJS que ocorrerá na cidade maravilhosa do Rio de Janeiro, entre os dias 7 e 10 de junho de 2012. Com o lema “Nas Redes e Nas Ruas, Lutando pelo Brasil dos Nossos Sonhos” o 16º Congresso chama a juventude brasileira para construir – através de todos os meios possíveis - um país mais desenvolvido e com justiça social, um Brasil socialista.

Em sua intervenção, o presidente estadual da UJS cearense, Flávio Vinícius, fez uma avaliação positiva do atual momento vivido pelo Ceará, mas apontou alguns entraves que ainda precisam ser superados, como a questão da distribuição de renda e as dificuldades nas áreas da educação e segurança pública, principalmente.

O dirigente estadual também chamou a atenção para o problema do crack que, em sua opinião, atinge não só a juventude, mas toda a sociedade. “O Ceará está crescendo, mas esse crescimento precisa se refletir na vida concreta das pessoas. Por isso, temos que continuar lutando por uma educação de qualidade e por mais oportunidades para a juventude (...) Enfrentar o crack deve estar entre as nossas prioridades”, enfatizou o jovem socialista.

Curso Estadual de Formação

Entre os dias 09 e 11, a UJS cearense promoveu um Curso de Formação para sua militância. Temas como o desenvolvimento e a crise do capitalismo, a nova luta pelo socialismo e o papel da UJS nessa batalha foram amplamente debatidos.

Em uma apresentação especial, o senador Inácio Arruda expôs um panorama do desenvolvimento do socialismo, destacando o ponto de vista e as necessidades das camadas populares na luta pela sua emancipação. Inácio falou sobre o desenvolvimento do Brasil, chamando a atenção para o prejuízo aos cofres públicos com o pagamento dos juros da dívida pública. “Ao final deste ano, o Brasil pagou R$ 128 bilhões de juros da dívida. Esse recurso saiu do bolso do contribuinte direto para os cofres dos banqueiros, que são os que mais acumulam riquezas em todo mundo” denunciou o senador comunista.

Da redação,

Leia mais...

Washington legaliza casamento entre pessoas do mesmo sexo  

A governadora de Washington, Chris Gregoire, promulgou nesta segunda-feira (13) a lei que legaliza o casamento homossexual no estado, onde gays e lésbicas poderão casar-se a partir do próximo dia 7 de junho.

Segundo afirmou à agência Efe um porta-voz do escritório da governadora, Gregoire assinou
a lei - na presença de defensores dos direitos homossexuais - que transformará Washington no sétimo estado do país que aprova esta união.

Desta forma, a governadora democrata deu sinal verde à lei aprovada pela Câmara de Representantes de Washington na quarta-feira passada. "Dizemos à nação que o estado de Washington já não nega a seus cidadãos a oportunidade de casar-se com a pessoa que amam e dizemos a todas as crianças de casais do mesmo sexo que sua família é tão importante como todas as outras famílias de nosso estado", declarou a governadora em comunicado após a aprovação parlamentar.

Acrescentou que os congressistas do estado agiram com "coragem, respeito e profissionalismo" para pôr fim a "uma era de discriminação". As associações de homossexuais do estado de Washington receberam a nova lei como "um avanço significativo" e com "grande satisfação", segundo disse à Efe Mac Partlow, de Conselho de Gays, Lésbicas e Bissexuais de Seattle.

A lei entrará em vigor no próximo dia 7 de junho, já que devem passar 90 dias desde sua promulgação, embora os opositores à norma busquem mecanismos legais para anular o texto antes que entre em vigor.

Concretamente, a intenção é obter os mais de 120 mil apoios mediante um plebiscito para evitar que entre em vigor no próximo mês de junho ou promover outra lei que cote o conceito de casamento à união entre uma mulher e um homem, de acordo com o jornal local "The Seattle Times".

Em janeiro e após anos de ambivalência, a governadora Gregoire anunciou que apoiaria o casamento homossexual e ressaltou que sua postura contradizia as doutrinas de sua fé católica.

Com 55 votos a favor e 43 contra, a Câmara de Representantes de Washington deu sinal verde na semana passada à lei, que já tinha sido aprovada pelo Senado estadual em janeiro.

O casamento entre pessoas do mesmo sexo é legal nos estados de Nova York, Connecticut, Iowa, Massachusetts, New Hampshire e Vermont, assim como no Distrito de Columbia.

Outros estados, especialmente na costa Leste e Oeste, permitem outros tipos de reconhecimentos legais para casais de gays e lésbicas.

Um tribunal federal de apelações na Califórnia declarou na terça-feira passada que a proibição dos casamentos entre pessoas do mesmo sexo é inconstitucional, o que representa um passo adiante para a aprovação das uniões entre homossexuais nesse estado.

Fonte: Efe

Leia mais...

Reformas econômicas preservam sistema de educação cubano  


O amplo processo de reformas econômicas, acelerado nos últimos anos com a chegada de Raúl Castro à Presidência, tem gerado muitas discussões em Cuba. A reintrodução paulatina da atividade privada, após décadas de controle estatal, é defendida pelo governo como forma de dinamizar e modernizar a economia, e, sem dúvida, tem provocado mudanças profundas na sociedade cubana.

Mas se ajustes precisam ser feitos no modelo econômico, há pelo menos um setor em que poucos defendem grandes alterações: o sistema educacional, cujos resultados são reconhecidos internacionalmente.

Desde a revolução, em 1959, a educação sempre esteve no topo da lista de prioridades em Cuba, mesmo no Período Especial (1990-2000), quando a economia local enfrentava a maior crise de sua história. Essa lógica deve sobreviver à “adaptação do modelo”, garante o presidente da Assembleia Nacional do Popular, Ricardo Alarcón. “Não vamos privatizar a educação, nem a saúde pública, nem desmantelar o sistema de seguridade e assistência social dos quais dispõem e desfrutam todos os cubanos”, afirma.

De fato, o documento elaborado a partir das conclusões do VI Congresso do Partido Comunista, realizado entre 17 e 19 de abril de 2011, reserva espaço de uma página apenas para tratar de educação, e o verbo “continuar” está presente em quase todos os parágrafos.

Foi definido como objetivo “atualizar o ensino de acordo com as novas tecnologias” e aumentar o número de vagas em cursos técnicos e superiores nas áreas de agropecuária, tecnologia e pedagogia.

Atualmente, a taxa de analfabetismo em Cuba é inferior a 1% entre jovens e adultos – em 1959, quando a Revolução derrubou a ditadura de Fulgêncio Batista, 35% dos cubanos não sabiam ler e escrever. De acordo com a Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura), é ainda o décimo quarto país do mundo, num total de 128 que compõem o ranking, que mais cumpre as metas estabelecidas pela agência da ONU. “Um desempenho extremamente bom”, concluiu o último relatório da entidade.

Fonte: Opera Mundi

Leia mais...

Estatuto da Juventude: UJS e entidades estudantis preparam tuitaço para quarta  


Com o objetivo de mobilizar e pressionar os parlamentares a aprovarem imediatamente o Estatuto da Juventude, a União da Juventude Socialista (UJS), União Nacional dos Estudantes (UNE) e União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES) convocam todos os estudantes e a sociedade civil a participarem do tuitaço #EstatutodaJuventude, a partir das 13h, quando será votado o Estatuto da Juventude.


Mesmo com a pressão dos estudantes, a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) decidiu adiar para quarta-feira (15) a discussão e a votação do projeto de lei da Câmara (PLC98/11) que institui o Estatuto da Juventude. A matéria foi a segunda pauta avaliada nesta que foi a primeira sessão da CCJ desde que se iniciou o ano.

Apesar de o presidente da comissão, senador Eunício Oliveira (PMDB-CE), ressaltar o compromisso de votar a matéria – remanescente de 2011 – ainda nesta quarta-feira (8), manobras de alguns senadores fizeram com que o Plenário da CCJ acatasse a sugestão de adiamento. O pedido foi apresentado pelo senador Demóstenes Torres (DEM-GO), autor do voto em separado do Estatuto.

Ao contrário do senador, que só vai apresentar seu voto em separado na próxima semana, Randolfe Rodrigues (PSOL-PA), relator do projeto de lei, já aproveitou a reunião desta quarta-feira (8) para anunciar a rejeição a quatro emendas – duas do senador Álvaro Dias (PSDB-PR) e duas do senador Renan Calheiros (PMDB-AL) – e as duas novas subemendas de Aloysio Nunes.

Temos pressa


Para quem pensa que o assunto pode postergar ainda mais, o presidente da UNE, Daniel Iliescu, é enfático: “Da próxima quarta-feira não passa. O movimento estudantil está mobilizado para aprovar a matéria na próxima semana, mesmo com a apresentação das emendas de Demóstenes, que visam obstruir os direitos e avanços das políticas de juventude”.

A decisão de Randolfe em já apresentar as rejeições das emendas foi tomada justamente para não atrasar mais a votação do projeto na CCJ. “Randolfe tem pressa pois sabe da importância que tem a aprovação desse projeto. Aprovado, está confirmado a constitucionalidade do Estatuto, consolidando avanços do movimento estudantil desde a vitória da PEC da Juventude. Esse é um passo decisivo para a implementação de políticas públicas para os jovens, mas sabemos que ainda há muita batalha”, destacou Iliescu.

Após a votação pela CCJ, o Estatuto da Juventude seguirá para análise das Comissões de Assuntos Sociais (CAS); de Educação, Cultura e Esporte (CE), e de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH).

Fonte: Redação com UNE

Leia mais...

Com o lema: “Nas Redes e nas Ruas, Lutando pelo Brasil dos nossos Sonhos”, UJS convoca 16º Congresso Nacional.  


A União da Juventude Socialista realizou sua Plenária Nacional no ultimo dia 05 de fevereiro no município de Itapecerica da Serra, região metropolitana de São Paulo. Com o objetivo de convocar o 16º Congresso Nacional, a Plenária contou com a participação de mais de uma centena de dirigentes e, foi precedida de um seminário preparatório aos temas que serão debatidos no Congresso.

O 16º Congresso da UJS tem como marca principal articular as lutas da juventude em todos os espaços, principalmente no potencial que significa unir as lutas nas ruas e nas redes sociais. Para André Tokarski, presidente nacional da UJS “a juventude brasileira vive um momento de grande otimismo. Em 2011 alcançamos a marca de 1 milhão de Prounistas, a descoberta do Pré-Sal e a realização da Copa do Mundo e das Olimpíadas podem se transformar em uma grande oportunidade para o Brasil crescer e superar desigualdades sociais históricas. Entretanto é preciso mobilizar a juventude para mais conquistas.

O transporte público está em situação caótica nas grandes cidades, em todo o país estudantes já estão realizando passeatas contra o aumento da tarifa. Por outro lado, os bancos privados comemoram lucros recordes enquanto o governo corta investimento para as áreas sociais. Assim como temos que associar as lutas nas redes e nas ruas, vamos nos debates do Congresso da UJS casar as bandeiras específicas da juventude com as reformas estruturais que o Brasil precisa fazer para continuar avançando”, finalizou o dirigente da UJS.

Crise Capitalista: O socialismo é o caminho

- Outro tema de grande relevância:
- Capitalismo falido; a crise é nas principais economias: EUA, EU, Japão;
- a juventude é a primeira a sofrer as conseqüências da crise;
- 43% dos jovens espanhóis estão desempregados;
- Crise acelera rupturas, apresentar o socialismo como a saída para a juventude e para os povos.


Rede UJS com 120 mil jovens

No ato de lançamento do congresso foi estabelecida a meta de filiar 120 mil jovens em todo o país, “a UJS não é uma organização de momento, somo uma organização revolucionária, queremos transformar a sociedade profundamente, para isso precisamos ganhar milhares de jovens em todo o país” ressaltou Monique Lemos, diretora nacional de organização da UJS.

Para ajudar nas filiações e no debate político do congresso será relançada a rede ujs, uma espécie de rede social interna, onde os militantes poderão participar em tempo real de todos os debates durante os meses de mobilização do congresso e fazer propostas. A direção nacional da UJS acredita que a rede ujs facilitará a participação de todos os filiados, já que nem todos tem condição de participar da etapa nacional do congresso ou mesmo das etapas municipais e estaduais, “a rede propiciará um intenso debate democrático sobre os rumos que devemos seguir, pois, como em outras redes sociais, o debate será mais dinâmico, onde todos poderão dar opinião sobre todos os temas do congresso” afirmou o diretor de comunicação da UJS Ismael Cardoso.


Cidade maravilhosa é a sede do 16º Congresso da UJS

A etapa nacional do congresso da UJS será realizada na cidade do Rio de Janeiro entre os dias 7 a 10 de Junho. Para os(a) dirigentes da UJS a cidade representa o momento novo que vive o Brasil e a juventude, um momento de grandes oportunidades e de desenvolvimento, como por exemplo no caso das olimpíadas, onde muitos investimentos serão voltados para os jovens.

Fonte: www.ujs.org.br/span>

Leia mais...

UECE recebe pedido de isenção da taxa do Vestibular de 2012.2  

A Comissão Executiva do Vestibular (CEV) da Universidade Estadual do Ceará (UECE) recebe até sexta-feira (10/02), as solicitações de isenção da taxa de inscrição ao Concurso Vestibular para ingresso nos Cursos de Graduação, no segundo período letivo de 2012. Os formulários de solicitação de isenção da taxa do Vestibular somente poderão ser preenchidos no site www.uece.br/cev e deverão ser entregues juntamente com toda documentação pertinente a cada categoria de isenção. O acesso pela internet poderá ser feito até as 19h do dia 10 de fevereiro de 2012.

A CEV estará recebendo os requerimentos preenchidos, juntamente com toda a documentação pertinente a cada categoria de isenção nesta sexta-feira (10/02), e segunda-feira (13/02/12), no horário corrido das 8h às 19h, na sua sede, que funciona na Avenida Paranjana, 1700, no Campus do Itaperi.

O pedido de isenção nas sedes das Unidades da UECE no Interior do Estado será feito no horário de funcionamento das mesmas. Para os professores, funcionários da UECE e seus dependentes e para os doadores de sangue, a solicitação de Isenção será também, neste mesmo período.


Poderão ser concedidas até duas isenções da taxa de inscrição, ao candidato que tenha cursado os três anos do ensino médio em escola pública (municipal, estadual ou federal), de funcionamento regular no Estado do Ceará, ou que tenha cursado o 1º e 2º anos do ensino médio, em escola pública (municipal, estadual ou federal), de funcionamento regular no Estado do Ceará, e que esteja cursando o 3º ano em escola pública (municipal, estadual ou federal) no período destinado ao pedido de isenção.


A primeira concessão de isenção equivale a 100% do valor da taxa de inscrição e na segunda solicitação o candidato só terá direito a 50%. Tendo em vista os custos do processo após a concessão da isenção, a decisão do beneficiário de não usufruí-la será considerada com uma concessão já deferida, por ocasião do próximo pedido de isenção solicitado pelo candidato.


Mais informações podem ser obtidas pelos telefones 3101.9710 / 3101.9711

Fonte: Site da UECE

Leia mais...

Orlando Silva se emociona em seminário da UJS  


O último dia do seminário preparatório ao 16º congresso da UJS teve inicio com o tema sobre a história da União da Juventude Socialista e as perspectivas futuras da maior organização de jovens socialistas do Brasil. O debate reuniu três gerações de dirigentes durante os 28 anos da UJS, que serão completados no dia 22 de setembro.


Ricardo Abreu, mais conhecido como Alemão, falou em nome da geração da década de 1980 e inicio da década de 1990, tratando da fundação da UJS e seus primeiros passos na luta política do Brasil. Além de Alemão, participaram do debate Orlando Silva, ex-ministro dos esportes e presidente da UJS entre os anos de 1999 a 2001 e Wadson Ribeiro, que presidiu a UJS entre 2001 e 2006. Wadson falou do momento político que viveu entre a passagem do governo FHC ao governo Lula, relatando a atuação protagonista da UJS nestes dois períodos.

O momento mais importante ocorreu quando o ex-ministro Orlando Silva contou sobre os ataques que sofrera da grande imprensa recentemente, agradecendo a defesa que a UJS fez de sua figura como ministro. Na ocasião a UJS realizou ações nas redes sociais, que tiveram grande repercussão e ajudaram a combater os ataques desferidos pela direita em conluio com diversos meios de comunicação. Segundo Orlando, houve um dia, em meio a crise política no ministério dos esportes, que não conseguiu conter as lágrimas, foi quando percebeu que todas as pessoas que o apoiavam haviam substituído suas fotos pela foto do ministro no twitter.



Fonte: www.ujs.org.br

Leia mais...

Crack, é possível vencer  

Em artigo publicado na edição de hoje, 06/02, do jornal O Povo, o senador Inácio Arruda fala sobre o problema do Crack no Brasil e destaca sua iniciativa em destinar R$ 8 milhões de sua emenda parlamentar para o enfrentamento ao crack em Fortaleza e Região Metropolitana.


Confira:


Crack, é possível vencer


Estamos todos trabalhando para o sucesso do plano Crack, é possível vencer, lançado pela presidente Dilma. Com o objetivo de fortalecê-lo, destinei os R$ 8 milhões de emenda de bancada a que tenho direito para o combate e a prevenção ao uso do crack em Fortaleza e nos municípios de sua Região Metropolitana.


O Governo Federal, ao instituir o Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack e outras Drogas, demonstra que está disposto a debelar esta chaga social, que infelicita muitas famílias. O plano visa à prevenção, ao tratamento e à reinserção social de usuários e ao enfrentamento do tráfico de crack e outras drogas ilícitas

Para o êxito do plano Crack, é possível vencer, é importante a integração e a articulação permanente entre as políticas e ações de saúde, assistência social, segurança pública, educação, desporto, cultura, direitos humanos, juventude, geração de emprego e valorização do trabalho.


Segundo o Ministério da Saúde, a dependência do crack é uma grande epidemia, cujo desafio do enfrentamento só é comparável ao da epidemia da aids. O Sistema Único de Saúde (SUS) vai triplicar as vagas em enfermarias especializadas, ampliando de 1,6 mil para 5,1 mil leitos nos hospitais gerais.


O plano está estruturado em três eixos: cuidado, autoridade e prevenção. Várias iniciativas, como a rede Conte Com a Gente, auxiliarão os dependentes e seus familiares na recuperação do vício e reinserção social. Governo, escolas, comunidades e meios de comunicação alertarão para os prejuízos causados pela dependência química. A maioria dos usuários é atraída para a droga por volta dos 14 anos e pertence às classes C e D.


Os recursos que destinei serão aplicados na construção de unidades de acolhimentos para usuários do crack, álcool e outras drogas, previsto no Plano Integrado de Combate às Drogas. Crack, é possível vencer.


Inácio Arruda

inacioarruda@senador.gov.br

Senador (PCdoB)

Leia mais...