Blog UJS Ceará

O blog de política da juventude cearense!

Eliana Gomes repercute entrega de cargos do PCdoB na Prefeitura  

A vereadora Eliana Gomes (PCdoB) destacou nesta quarta-feira, 28, a posição do PCdoB de entregar cargos ocupados por seus filiados na gestão municipal. O partido pretende apresentar candidato na disputa majoritária em Fortaleza.

Segundo a vereadora, Evaldo Lima deixou o cargo de Secretário do Esporte e Lazer. João Ricardo, Secretário do Procon Fortaleza, optou por permanecer no cargo e, em consequência, decidiu desfiliar-se do PCdoB.

“Nosso partido é claro, temos rumo e decisão política. Vamos continuar nossa trajetória”, afirmou Eliana. Ela aproveitou o pronunciamento para reconhecer o bom trabalho feito pelos Secretários em benefício de Fortaleza. “Uma aliança não se resume a cargos, passa por articulações maiores”, pontuou.

Em aparte, Guilherme Sampaio, líder do PT na Câmara, elogiou a posição coerente de Eliana e do PCdoB, legenda que, para ele, tem legitimidade para apresentar candidato à sucessão municipal. “Nosso sentimento é de respeito e reconhecimento ao PCdoB e a Vossa Excelência.”

Fonte: Câmara de Fortaleza

Leia mais...

Sessão Solene: Assembleia Legislativa homenageia 90 anos do PCdoB  

Como parte da programação alusiva aos 90 anos de fundação do Partido Comunista do Brasil, a Assembleia Legislativa do Estado do Ceará realiza nesta quinta-feira (29), a partir das 19 horas, Sessão Solene em homenagem ao PCdoB.



A iniciativa é do deputado estadual Dr. Pierre, que considera esta uma homenagem mais do que justa a um Partido que participou ativamente da história do país. “O PCdoB é um partido que tem compromisso com o povo e está engajado no processo de transformação política do Brasil. Chega aos 90 anos forte e consolidado com grandes projetos em prol da coletividade”.

Além da militância comunista, parlamentares, representantes de movimentos sociais e amigos do PCdoB, a solenidade contará com a presença de Renato Rabelo, Presidente Nacional do Partido.

Serviço

Sessão Solene em alusão aos 90 anos do PCdoB

Data: quinta-feira (29/03)
Hora: a partir das 19h
Local: Assembleia Legislativa do Estado do Ceará

De Fortaleza,
Carolina Campos (com informações da Assessoria do Deputado Estadual Dr. Pierre)


Fonte: www.vermelho.org.br


Leia mais...

Uma morte, o estopim  


Trecho retirado do Capítulo Especial 2 (1968): De cara com a utopia: Com a morte de um estudante secundarista, o povo sai às ruas e manifesta seu repúdio à ditadura do livro UBES Rebeldia Consequente: A História do Movimento Estudantil Secundarista do Brasil, da historiadora Raisa Marques e do jornalista André Cintra, publicado em 2009.

Uma morte, o estopim

Os grandes conflitos entre a ditadura militar e o movimento estudantil em 1968 têm como estopim a morte de um secundarista, Edson Luís de Lima Souto, no Rio de Janeiro. “A reação à morte do Edson Luís foi de uma amplitude, de uma radicalidade que ninguém imaginava, mesmo os que achavam que o ano seria de mobilizações. Mas rapidamente a gente percebeu o potencial de mobilização para além da universidade — até porque o Edson Luís não era universitário, mas secundarista”, recorda-se o economista Jean Marc von der Weid, que foi eleito presidente da UNE em 1969.

Edson Luís foi assassinado durante uma manifestação em frente ao Restaurante Central dos Estudantes, num prédio do centro do Rio de Janeiro. Conhecido como Calabouço, por ter abrigado escravos presos no Império, o enorme restaurante era uma espécie de patrimônio dos estudantes, custeado pelo Ministério da Educação. “Posso dizer que aquela comida de bandejão era muito ruim. Mas havia uma coisa boa: aquela garotada pobre que circulava por ali, perto do Centro da cidade, podia almoçar por um preço muito baixo, como se fosse um restaurante universitário, só que fora da universidade”, lembra o jornalista e ex-vice-presidente da UBES (1968), Bernardo, em entrevista ao MME. “Uma pessoa se inscrevia lá, ganhava uma carteirinha e podia almoçar no Calabouço. Como juntava 10 mil estudantes por dia, inevitavelmente, se transformou num centro de efervescência estudantil.”

De fato, o restaurante tinha fama de servir refeições horríveis, mas a preços extremamente baixos, “qualquer coisa assim como centavos”, segundo Bernardo Joffily. “Eram milhares de estudantes naquele galpão enorme — e, de repente, um estudante subia na cadeira e dizia: ‘Companheiros, acabo de descobrir uma barata aqui na sopa, no meu feijão, na minha bandeja’. E aí todo mundo batia com os garfos. Já era combinado, todo mundo já sabia, não precisava ninguém explicar. Todos batiam com os garfos nas bandejas, faziam aquela barulhada imensa em protesto contra a barata descoberta”, diz Bernardo.

O Calabouço, de qualquer maneira, foi adotado pela estudantada. Para se ter uma ideia de sua importância, um grupo de frequentadores, liderado por Elianor Brito, criou a Feuc (Frente Unida dos Estudantes do Calabouço), com o objetivo de melhorar as condições de funcionamento do restaurante. No governo Costa e Silva, os subsídios do Ministério da Educação para o projeto minguaram, a tal ponto que, em setembro de 1967, uma ampla reforma do Calabouço foi interrompida sem anúncio nem explicações. Além disso, os militares ameaçavam demolir o prédio para a construção de um viaduto. Em resposta, os estudantes a realizarem vários protestos durante meses.

Uma dessas manifestações ocorreu na noite de 28 de março de 1968, uma quinta-feira. Cerca de 600 estudantes discutiam os detalhes de uma passeata agendada para o dia seguinte, que reivindicaria melhorias para o Calabouço e o fim da ditadura. Mas a Polícia Militar, avisada de antemão, cercou o restaurante em clima de guerra, imaginando que os manifestantes tacariam pedras na embaixada americana. Com seis carros ao redor do local, os policiais já chegaram com cassetetes em mãos. “Vão lá e quebrem tudo”, tinha ordenado o tenente Alcindo Costa. De repente, começaram os tiros — o Calabouço era metralhado sem parar. “Ao lado do galpão do restaurante funciona o Instituto Cooperativa de Ensino, onde é ministrado um curso do artigo 99 (Madureza). No momento da invasão estava sendo dada aula de Geografia. O professor protestou e foi espancado pelos policiais”, registrou a Folha de S.Paulo.

Uma bala perdida atingiu o comerciário Telmo Matos Henrique, que estava num prédio vizinho. Dois estudantes também foram atingidos — o próprio Edson Luís, no peito, e também Benedito Frasão Dutra, no braço e na cabeça. Dezenas de pessoas estavam feridas. Quando o massacre policial acabou, Edson Luís e Benedito foram levados à Santa Casa de Misericórdia, que ficava a três quarteirões de distância. Nenhum sobreviveu. Benedito foi internado em estado grave, permaneceu em coma na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e morreu no dia seguinte, aos 20 anos. Edson Luís chegou ao hospital já sem vida, vítima de um tiro à queima-roupa, no peito, que saiu da arma calibre 45 do comandante da tropa, aspirante a PM Aloísio Raposo. Um assassinato, enfim, com a marca da covardia contra um jovem e indefeso estudante.

Em O Poder Jovem, Poerner descreveu o secundarista morto, filho de uma lavadeira, como “um menino ainda — completara 18 anos em 20 de fevereiro —, parecia baixinho, a pele morena e os cabelos bem pretos e lisos de caboclo nortista. Os dentes — tinha-os estragado, como a maioria dos jovens do nosso país. órfão de pai, viera, havia três meses, de Belém do Pará, para cursar o artigo 99 do 1º ciclo (uma espécie de supletivo) no Instituto Cooperativo de Ensino, anexo do Calabouço, onde passava a maior parte do dia, inclusive auxiliando em serviços burocráticos de secretaria e de limpeza do estabelecimento, pois não conseguira emprego”. Edson, segundo Bernardo, “era uma pessoa meio que adotada pelo movimento. Não era uma liderança, mas uma pessoa muito querida. Foi morto porque estava numa passeata contra o fechamento de um restaurante estudantil — essa é a moral da história”.


O Rio vela Edson Luís

Os estudantes que esperavam na Santa Casa decidiram sair com o corpo de Edson Luís pelas ruas e denunciar o crime — mais um — cometido pela ditadura contra o movimento estudantil. O povo se sensibilizou de imediato, segundo Jean Marc von der Weid. “A mobilização que se fez em torno disso, se fez dirigida para a classe média da Zona Sul. Fui eu que inventei a fórmula de parar os espetáculos em todos os teatros da Zona Sul para fazer a denúncia do assassinato do Edson Luís. Parei pessoalmente seis teatros e alguns cinemas. No começo, fazíamos com certa hesitação, mas depois fomos adquirindo confiança e as pessoas aderiam. Claro, havia sempre um sujeito que exigia o seu dinheiro de volta, brigava. Uma vez, quando a gente paralisou o Teatro Princesa Isabel, um coronel se levantou e disse que prenderia a gente. O público vaiou. A peça Roda Viva estava sendo apresentada nesse dia, e eu comecei a fazer uma denúncia dramática do assassinato do Edson Luís. De repente, Marieta Severo explode em soluços ao meu lado.”

O corpo do estudante morto foi conduzido até a antiga sede da Assembleia Legislativa da Guanabara, na Cinelândia. Impedidos pela multidão de entrarem, agentes da PM e do Dops ameaçavam lançar bombas de gás. Faltou-lhes coragem. Nas ruas, a mobilização e os protestos continuavam. O governador Negrão de Lima mandou soltar os 14 estudantes presos na passeata e suspendeu as aulas em todos os estabelecimentos de ensino. A essa altura, as inúmeras faculdades do Rio já estavam em greve.

“As pessoas começaram a entrar noite adentro. Circulavam em bares da Zona Sul, faziam discurso e passavam o chapéu para recolher dinheiro para fazer o enterro do Edson Luís. Foi um agito generalizado”, diz Jean Marc. Segundo Bernardo, “a escadaria (da Assembleia) se transformou num palanque. As pessoas chegando, as escolas e faculdades fechando espontaneamente, e toda aquela massa de gente indo para a Cinelândia se somar ao velório”.

Dentro da Assembleia, o corpo de Edson foi posto sobre a Mesa Diretora e coberto pela bandeira nacional, por cartazes de protesto e por um caderno do próprio estudante. Dois médicos fizeram então a autópsia, acompanhados do secretário estadual de Saúde. Lideranças de diversas entidades clandestinas discursavam. Ao lado do caixão, proliferavam faixas com palavras-de-ordem, como “Assassinaram um estudante. Poderia ser seu filho” e “Brasil, seus filhos morrem por você”. Segundo o jornal O Dia, “até às 15 horas, os estudantes haviam recebido, de donativos, três mil cruzeiros novos, que se destinarão à construção de uma estátua, em homenagem ao morto, em frente ao Restaurante Central dos Estudantes. O restante, segundo ficou deliberado, seria enviado à família do estudante, em Belém do Pará e custearia os funerais, pois foi recusado o oferecimento do governo estadual”.

Ao fim da tarde de 29 de março, assistiu-se a uma das maiores mobilizações da história do Brasil até então. Milhares de pessoas faziam fila para velar o corpo de Edson Luís. Artistas, sindicalistas e intelectuais compareciam. Na presença de 60 mil pessoas, o corpo de Edson Luís fez seu último trajeto. “Coberto pela bandeira nacional, o caixão desceu as escadarias da Assembleia sob os acenos de milhares de lenços. O povo entoava o Hino Nacional. Do alto dos edifícios caíam pétalas de flores e papéis picados. A multidão gritava ‘Desce! Desce’ para que os que, nas janelas, se limitavam a içar bandeiras negras. Muitos desciam e se integravam ao acompanhamento”.

Foram mais de três horas de um cortejo inesquecível até o Cemitério São João Batista. Anoitecia e, para ofuscar o protesto, autoridades deixaram de acionar parte da iluminação pública. De nada adiantou. Velas e lanternas carregadas pelas pessoas iluminavam a passeata. “A gente parou em frente ao prédio da UNE para fazer uma reverência. O prédio da UNE, que tinha sido fechado pela ditadura e não estava funcionando. Foi um dos momentos mais emocionantes. Lembro também que já estava escurecendo e algum dono de mercearia teve a ideia de doar todo o estoque de velas que ele tinha”, afirma Bernardo.

Jean Marc agrega: “A manifestação no enterro do estudante foi absolutamente monumental. Há quem fale de cem mil na manifestação posterior. Certamente não havia cem mil. Mas no enterro, sim. Foi uma imensa manifestação, com um itinerário enorme, do centro da cidade até o Cemitério São João Batista, com muita mobilização de gente. Foi um marco. O ano político começou com esse fato”. Edson Luís, segundo Bernardo Joffily, “não foi o primeiro morto da ditadura militar, mas foi, digamos assim, o primeiro morto público da ditadura militar. Eu acredito que, naquele dia, o Brasil aprendeu melhor o que era o regime”. Para Artur Poerner, “foi o momento de apogeu do movimento estudantil. Os estudantes eram, naquele momento, a vanguarda da resistência à ditadura militar”.

O grande feito dos estudantes, até aquele momento, foi ter despertado o povo para o fiasco do regime militar.

Fonte: www.ujs.org.br

Leia mais...

Ato Contra a Comemoração do Golpe de 64  


Desta vez, passou dos limites. Os militares, que já vinham dando sinais de insubordinação assinando um manifesto contra a Comissão da Verdade, que prepararam um manifesto contra a Comissão da Verdade e recolheram mais de 500 assinaturas e preparam para o dia 29/03 o que já pode ser considerado provocação.

Dilma havia proibido comemorações, entre os representas da Marinha, do Exército e da Aeronáutica, em relação ao aniversário do golpe de 31 de março de 1964, que os militares chamam de “Revolução”. Pois o Clube Militar antecipou a festa para o dia 29 e começou a distribuir os convites para a comemoração, que exige traje esporte fino.

Os militares também demonstram preocupação com a tentativa de alguns promotores de rever a Lei de Anistia. Nesta semana, houve a tentativa, frustrada, de reabrir o julgamento de Sebastião Curió, que foi responsável pelo massacre dos guerrilheiros do Araguaia.

Agora, uma festa no Clube Militar, em comemoração aos 48 anos do golpe militar que foi combatido pela jovem guerrilheira Dilma Rousseff, hoje presidente da República, tem potencial explosivo.

Temos um potencial mobilizatório incrivel e vamos fazer uso dele nessa convocatória para não deixar passar em branco os assassinatos e desmandos de um período nefasto da politica Brasileira. Cadeia para ditadores já!

Leia mais...

Com a história nas mãos, a juventude escracha os torturadores  

A verdade que torturadores, assassinos e criminosos políticos da ditadura de 1964 (juntamente com aqueles que os apóiam) querem esquecer, sobre as barbáries cometidas durante o período em que dominaram o país, começa a ganhar as ruas pela ação da juventude, levada pelo movimento Levante Popular da Juventude que, em hora apropriada, realizou ações contra torturadores e assassinos políticos em sete cidades brasileiras. A propriedade da hora é ressaltada pela iminência da nomeação, pelo governo federal, dos membros da Comissão da Verdade, e por ocorrer às vésperas da data escolhida por direitistas e conservadores – civis e militares saudosos da ditadura – se mobilizam para comemorar os 48 anos do golpe militar de 1º de abril de 1964.

O movimento se proclama, em seu manifesto, herdeiro dos lutadores contra a ditadura militar, vítimas da tortura e do assassinato político. Pretende, explicitamente, resgatar e revelar esta parte sombria da história que parece – diz aquele documento – “ser propositadamente esquecida: a ditadura militar”, época em que ”jovens como nós, mulheres, homens, trabalhadores, estudantes, foram proibidos de lutar por uma vida melhor, foram proibidos de sonhar” por uma ditadura “que cruelmente perseguiu, prendeu, torturou e exterminou toda uma geração que ousou se levantar”. Não deixaremos, diz, “que a história seja omitida, apaziguada ou relativizada por quem quer que seja”. Lembrando os que foram assassinados e torturados por ousar pretender “construir uma sociedade mais justa”, asseguram: essa “é também a nossa história”, dizendo: “nós somos seu povo”. E garantem: “Torturadores e apoiadores da ditadura militar: vocês não foram absolvidos!”


As ações ocorreram nos locais de moradia ou trabalho de reconhecidos torturadores que, ocultos pela falta de divulgação das barbaridades que cometeram, tocam a vida organizada e confortável como se nada tivesse acontecido e apesar de todo o mal e sofrimento que causaram. Manifestações barulhentas, com tambores e mobilização de jovens, cartazes e pichações do tipo “aqui mora um torturador” expuseram, em eventos que apelidaram de “escrachos” ou “esculacho”, para vizinhos e pessoas das relações de antigos agentes da ditadura os crimes que cometeram.

São Paulo, Porto Alegre, Belo Horizonte, Fortaleza, Rio de Janeiro, Belém e Curitiba foram o cenário das primeiras manifestações. Seu objetivo não era o confronto mas a denúncia e o constrangimento dos torturadores e criminosos da repressão política da ditadura militar, explicou Lira Alli, uma militante do protesto em São Paulo. O movimento se contrapõe ao manifesto dos militares da reserva contra a Comissão da Verdade e quer a mobilização da juventude em defesa dela. Outro porta-voz do movimento em São Paulo, o acadêmico da Faculdade de Direito da USP Caio Santiago, concorda que o objetivo é pressionar pela Comissão da Verdade, e também expor publicamente os responsáveis por crimes cometidos contra os lutadores pela democracia e pelo progresso social que resistiram à ditadura. “A gente veio para dialogar com quem trabalha com o acusado de tortura”, disse ele, e expor, constranger e denunciar o torturador perante as pessoas que convivem com ele.

A juventude toma a história nas mãos e exige a investigação dos porões da ditadura. Este não será um 31 de março abertura fácil para os órfãos da ditadura de 1964. Fiel aos compromissos, sonhos e projetos de seus pais, tios, irmãos, dirigentes políticos, amigos, que ousaram enfrentar a tirania e pagaram um alto preço de sangue para resistir contra o arbítrio, eles empunham suas bandeiras históricas e tomam as ruas para limpar a nódoa que mancha a história do país e criar as condições para que, com a exposição da verdade, e com base nela, os brasileiros possam se reconciliar com sua história.

Para isso, convocam “a juventude e toda a sociedade” para esta tarefa e “em defesa da Comissão Nacional da Verdade” e proclamam: “Até que todos os torturadores sejam julgados, não esqueceremos, nem descansaremos”.

Fonte: www.vermelho.org.br

Leia mais...

7% do PIB não são suficientes para educação, dizem especialistas  


Os especialistas que participaram da audiência pública para discutir o Plano Nacional de Educação (PNE), nesta terça (20), na Câmara, foram unânimes ao afirmar que os 7% do Produto Interno Bruto (PIB) do país, propostos pelo governo federal para serem investidos na área, até 2020, não serão suficientes para garantir um padrão mínimo de qualidade para o setor.

O relator do projeto, deputado Ângelo Vanhoni (PT-PR), reafirmou que, a despeito da opinião contrária dos convidados, manterá no seu substitutivo o percentual de 7,5%, já renegociado com a equipe econômica do governo. “Esse percentual será suficiente para promover uma verdadeira revolução na área”, garantiu.

Os deputados presentes à audiência, entretanto, não se convenceram. E defenderam que o relatório só seja colocado em votação após uma reunião da Comissão Especial do PNE com a equipe econômica para discutir valores.

O coordenador-geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, Daniel Cara, disse que um estudo realizado pelo coletivo, que reúne diversas entidades da sociedade civil organizada, concluiu que, para financiar as metas previstas no PNE, será necessário investir 10,4% do PIB. “Se a gente não investir 10%, não vamos conseguir expandir a educação como determina o PNE, com um padrão mínimo de qualidade”, afirmou.

Segundo ele, os estudos feitos pelo Ministério da Educação (MEC) que apontaram que o percentual de 7% é suficiente não obedecem aos critérios definidos pelo Custo Aluno Qualidade Inicial (CAQi).

Ele também defendeu a necessidade do aumento dos investimentos federais no setor. De acordo com Cara, durante os governos dos ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva, a união se desresponsabilizou progressivamente pela área. “O esforço real do financiamento da educação se dá pelos estados e municípios”. Conforme o coordenador-geral, os estados arcam com 41% dos custos do setor, os municípios com 31% e a união, com 20%.

Professor da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Nelson Amaral afirmou que a dificuldade em estabelecer os parâmetros de cálculos para o percentual do PIB a ser empregado na área decorrem da dificuldade brasileira em definir qual educação ela quer para o país. O professor mostrou estudos baseados no custo anual dos alunos matriculados em creches para demonstrar a discrepância entre os parâmetros possíveis de serem adotados.

Ele afirmou que o MEC estima em R$ 2,5 mil o custo/aluno creche por ano. Para a União dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), o valor é de R$ 5,1 mil. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (INEP) aponta para R$ 6,4 mil. E o Custo Aluno Qualidade Inicial (CAQi) fixa em R$ 7,4 mil. “A questão é definir que qualidade queremos”, provocou.

O professor demonstrou também que as discrepâncias obedecem às desigualdades regionais brasileiras. No nordeste, esse custo é estimado em R$ 1,8 mil, enquanto na região sudeste fica em R$ 8,2 mil. O investimento dos países desenvolvidos é ainda maior. Nos Estados Unidos, chega a US$ 14 mil.

“Se o Brasil aplicar 10% do PIB em educação, atingirá um padrão de qualidade próximo ao da média dos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), que é de US$ 6 mil por aluno, entre 2020 e 2030. Se investir apenas 7% do PIB, se irá se equipar aos países desenvolvidos somente entre 2040 e 2050”, apontou.

O professor da Universidade de São Paulo (USP), José Marcelino de Rezende Pinto, calculou em 10,7% o percentual do PIB necessário para financiar as metas educacionais previstas pelo PNE. Segundo ele, os 7% apontados pelo governo correspondem às necessidades apenas deste ano.

O representando do Conselho Todos pela Educação, Mozart Neves Ramos, criticou a falta de qualidade do ensino brasileiro. “Em vários estados, em cada 100 alunos que terminaram o ensino médio, apenas dois aprenderam o esperado em matemática”, exemplificou. Segundo ele, o Brasil possui um custo médio por aluno/ano de R$ 3,5 mil, enquanto os países da comunidade europeia investem R$ 9 mil. “É uma diferença enorme”.

O relator, Ângelo Vanhoni, defendeu seu substitutivo, afirmando que ele avança muito a partir das metas elaboradas inicialmente pelo governo, em 2010. No caso das crianças de 0 a 3 anos, matriculadas nas creches, o substitutivo fixa em R$ 3,5 mil o custo anual por aluno, enquanto o governo emprega, hoje, R$ 2,2 mil.

No final do debate, o deputado Arthur Bruno (PT-CE) propôs que a Comissão só vote seu relatório após debate com o ministro da Fazenda, Guido Mantega. “Precisamos discutir os números com ele. Investir 7,5% do PIB em ensino é um avanço, mas precisamos ouvir o ministro”, afirmou.

O deputado Paulo Rubem Santiago (PDT-PE) reforçou a proposta. “Não há restrição fiscal para destinar os 10% do PIB para a educação. O relatório simplesmente enquadra a proposta que veio do Palácio do Planalto”, disse.

O deputado Newton Lima (PT-SP), concordou com o debate, mas ressaltou que os deputados não devem criar um antagonismo entre a política de responsabilidade fiscal e a política educacional. “Se a gente fizer isso, vamos cometer um grave equívoco, porque temos um país em reconstrução, inclusive na sua macroeconomia”, justificou.

Para Lima, a atual situação de instabilidade econômica mundial não permite que o governo faça uma estimativa supervalorizada dos recursos disponíveis para investir mesmo em setores imprescindíveis, como educação ou saúde.

Fonte: Por Najla Passos na Carta Maior

www.ujs.org.br

Leia mais...

Movimento estudantil se prepara para o 60º Conselho Nacional de Entidades  


O movimento estudantil brasileiro se prepara para realizar um dos seus principais fóruns de deliberação, o Conselho Nacional de Entidades Gerais (Coneg), que reúne as principais lideranças de Diretórios Centrais de Estudantes, UEEs e Executivas de Curso. A 60ª edição do Coneg ocorrerá no Rio de Janeiro, de 15 a 17 de junho de 2012. Durante esse mês, a capital carioca receberá também outro importante encontro, a Rio+20.

O Coneg , além de debater temas relacionados ao desenvolvimento sustentável, terá a finalidade de elaborar uma plataforma política a ser apresentada à sociedade. Serão mais de 500 estudantes reunidos para discutir temas como educação saúde, meio ambiente, ciência e tecnologia, mobilidade urbana, entre outros, e formular o “Projeto UNE Brasil+10”, fruto da Caravana que leva o mesmo nome é irá rodar todo o Brasil ano meses de março a maio. Para participar do CONEG, cada entidade precisa eleger seus delegados (baixe aqui a ata de eleição).

“Esse projeto é uma tentativa de sistematizar os debates que vão acontecer durante toda a Caravana Brasil+10, caravanas livres, e todas as outras atividades do movimento estudantil, que ao longo dos próximos dois meses levantarão a reflexão entre estudantes do Brasil que queremos construir nos próximos 10 anos”, explicou o presidente da UNE, Daniel Iliescu.

O CONEG acontecerá juntamente à uma das conferências mais esperadas do último ano, a Rio+20, evento que, entre os dias 13 a 22 de junho, reunirá representantes de 193 estados para debater desenvolvimento sustentável e tirar uma agenda com ações globais. “A conferência deve mobilizar bastante a sociedade brasileira. Nas universidades o debate será ainda mais intenso. O ‘Projeto UNE Brasil+10′, também abordará temas debatidos na Rio+20, porém o objetivo do encontro é formular um documento mais amplo”, explicou Daniel.

Fonte: UNE

Leia mais...

Debate no Senado defende aprovação do Estatuto da Juventude  

O presidente da Comissão de Direitos Humanos do Senado (CDH) e relator do Estatuto de Juventude na Comissão de Assuntos Sociais (CAS), senador Paulo Paim (PT-RS), disse que quer ver o projeto aprovado até abril deste ano. Ele iniciou o debate realizado nesta terça-feira (20) na comissão, lembrando o “bom trabalho” realizado pela deputada Manuela D’ávila (PCdoB-RS), relatora do Estatuto na Câmara dos Deputados.

“Se dependesse de mim, esse Estatuto seria aprovado com rapidez. Seria aprovado até abril deste ano. O que não pode, é esse projeto ficar engavetado, como está o Estatuto da Pessoa com Deficiência na Câmara”, cobrou Paim.

Daniel Iliescu, presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE), também defendeu a rápida aprovação do Estatuto, dizendo que essa é uma grande oportunidade de o Brasil inserir os jovens em políticas públicas e fazer com que outros setores, com a participação da juventude, possam se desenvolver, assim como a economia brasileira, que já é a sexta maior economia mundial.

“Não munir o Brasil do Estatuto, é desperdiçar a oportunidade de se ter um país mais desenvolvido socialmente, além de desenvolvido economicamente”, disse. “O Estatuto da Juventude significa um avanço enorme nessa área do fortalecimento daqueles que vão dirigir o país um dia, que é a juventude de hoje”, completou Paim.

O relator do Estatuto da Juventude na CCJ e na CDH, senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), destacou as dificuldades enfrentadas até o momento, para fazer com que o projeto avance na Casa e pediu a ajuda dos jovens para sensibilizar parlamentares a debaterem e propiciarem a aprovação da proposta.

“Sugiro a mobilização dos jovens, estudantes desse país, para que a tramitação do projeto seja acelerada. Assim, o projeto poderá ser aprovado pela CAS, onde o senador Paim é o relator, seguir para a CDH e, aprovado aqui, pedirmos a urgência para votação no plenário e ele retornar para a Câmara, ainda no primeiro semestre”, defendeu.

Sugestões para melhoria

A secretária Nacional da Juventude da Presidência da República, Severine Macedo, também mostrou disposição em fazer a proposta tramitar de forma rápida, mas, ressaltou que debates precisam ser realizados para que alguns pontos do Estatuto ainda sejam aprimorados.

“Não queremos que o Estatuto fique tramitando no Congresso durante anos”, destacou a secretária, que também enfatizou que ministérios como Educação e Saúde estão preparando sugestões para a melhoria da matéria.

O Estatuto da Juventude é um texto que busca reafirmar e aprofundar direitos fundamentais dos jovens, avançando na implantação de políticas públicas e no atendimento das necessidades de jovens com faixa etária entre 15 e 29 anos.

De Brasília
Com Agência Senado

Fonte:
www.vermelho.org.br

Leia mais...

CARAVANA DA UNE PERCORRE 12 ESTADOS E "PREVÊ" BRASIL DAQUI A 10 ANOS  


Projeto “UNE Brasil+10” acontece em 24 universidades do país com grandes debates temáticos, encontros e atividades culturais dentro de quatro eixos: educação, desenvolvimento, justiça social e ambiental

Onde você estará daqui a dez anos? Como será a estrutura social brasileira e quais serão as oportunidades de desenvolvimento para a juventude? Quais serão os avanços e desafios da educação pública e da sustentabilidade ambiental? A União Nacional dos Estudantes (UNE) resolveu qualificar ao máximo esse exercício de futurologia entre os dias 28 de março e 15 de maio, com a Caravana UNE Brasil+10. Entre os convidados para a jornada nos diversos estados estão nomes como o cientista Miguel Nicolelis, o escritor Fernando Moraes, o cineasta Silvio Tendler e o físico Ênio Candotti.

A Caravana UNE Brasil+10, sexta iniciativa de circulação nacional da UNE em seus 75 anos de vida, é co-realizada pelo Circuito Universitário de Cultura e Arte da entidade (CUCA da UNE) e está percorrendo 24 universidades, em 12 estados (Brasília, Porto Alegre, Curitiba, Manaus, Belém, Fortaleza, Natal, Recife, Belo Horizonte, Salvador, Rio de Janeiro e São Paulo).

Imaginando o Brasil possível em 2022, quando se completam 200 anos da Independência Nacional e 100 anos da Semana de Arte Moderna, a UNE leva uma maratona de atividades com grandes pensadores, cientistas, artistas, políticos e militantes do movimento social para debater e construir, junto aos estudantes, idéias e soluções para a próxima década. A Caravana deverá atingir um público total de 50 mil estudantes e se divide em quatro eixos fundamentais: educação, desenvolvimento, justiça social e justiça ambiental.

Entre os principais objetivos da Caravana está a produção de um diagnóstico participativo, junto a jovens de diferentes estados e realidades, que possa contribuir no debate e formulação de políticas públicas, ações do movimento social ou do terceiro setor para o desenvolvimento do Brasil nos próximos dez anos. Além disso, o resultado servirá de base para o Projeto “UNE Brasil Cidades 2012”, uma plataforma de reivindicações do movimento estudantil brasileiro a ser entregue para os candidatos a prefeito nas eleições do segundo semestre.

ROTEIRO DA CARAVANA


28/03 – Brasília (DF): UNB / UCB

03/04 – Porto Alegre (RS) UFRGS / PUC-RS

10/04 – Curitiba (PR): UFPR / PUC-PR

13/04 – Manaus (AM): UFAM / UNINORTE

16/04 – Belém (PA): UNAMA

17/04 – Belém (PA): UFPA

19/04 – Fortaleza (CE): Faculdades Integradas do Ceará (FIC)

20 /04 – Fortaleza (CE): UFC

24/04 - Natal (RN): UFRN / UNP

27/04 – Recife (PE): UFPE / UNICAP

03/05 – Belo Horizonte (MG): UFMG / PUC-MINAS

07/05 – Salvador (BA): Centro Universitário Jorge Amado (FJA)

08 /05 – Salvador (BA): UFBA

11/05 – Rio de Janeiro (RJ): UFRJ

12/05 – Rio de Janeiro (RJ): Universidade Gama Filho (UGF)

14 /05 – São Paulo (SP): UNIP

15/05 – São Paulo (SP): USP

ATIVIDADES DA CARAVANA

Em cada uma das universidades, logo pela manhã, acontece um cortejo cultural, formado por atores e músicos, passando pelos corredores e convidando para o “Aulão Brasil+10”, uma grande aula referência, ministrada por personalidades brasileiras convidadas, sobre o tema Brasil+10. Depois, a mobilização estudantil estará voltada para as questões locais da universidade. A equipe da UNE fará reuniões com as entidades estudantis e representantes das instituições para debater as questões educacionais concretas enfrentadas em cada uma delas.

No final da tarde, o CUCA da UNE realizará uma reunião envolvendo estudantes e artistas locais. Também à tarde, acontecerá nas universidades privadas o Encontro do Prouni, que tem como objetivo analisar os resultados deste projeto executado pelo Ministério da Educação, levantando seus problemas e virtudes, sistematizando-os na busca de aprimoramentos através das opiniões dos jovens beneficiados.

UNE 75 ANOS

No próximo dia 11 de agosto, a UNE completa 75 anos de lutas e protagonismo nos principais episódios da vida do Brasil. Sendo, simultaneamente, o mais antigo e mais renovado movimento social do país, a entidade foi fundada em 1937, em meio à luta dos estudantes contra o nazi-fascismo no Brasil. O movimento estudantil marcou presença combatendo a ditadura do Estado Novo, na luta pelo desenvolvimento com a campanha “O Petróleo é Nosso” e nos turbulentos anos 60 e 70, quando a UNE e os estudantes foram perseguidos, torturados e mortos pela ditadura militar. Além disso, a UNE teve participação histórica em outros episódios como na campanha “Diretas Já”, na ação dos “cara-pintadas” durante a campanha “Fora Collor” e na resistência às privatizações e ao neoliberalismo que marcaram a era do presidente FHC.

HISTÓRICO DAS CARAVANAS DA UNE

Em 1962, pela primeira vez em sua história, a UNE pôs o pé na estrada com a realização da UNE-Volante, mobilizada na rede da legalidade, movimento vitorioso que garantiu a posse do presidente João Goulart. Em 1963, reforçando as conquistas dessa experiência, foi realizada a segunda edição da UNE-Volante, congregando jovens artistas e universitários em busca de conhecer e integrar o Brasil. No entanto, essas experiências foram interrompidas pela ditadura.

Em 2004, a UNE conseguir retomar os projetos das caravanas. Uma equipe de atores, produtores, documentaristas, artistas e estudantes embarcaram a bordo de um ônibus para mais um jornada, desta vez, chamada de Caravana UNE pelo Brasil, percorrendo 25 cidades brasileiras, sendo 18 capitais, passando por 31 instituições de ensino, nas cinco regiões do país. Ainda em 2004, foi realizada a Caravana Universitária de Cultura e Arte Paschoal Carlos Magno, o nome foi uma homenagem ao poeta e romancista criador do Teatro dos Estudantes. Já no segundo semestre de 2008, a UNE apostou na diversificação dos temas das caravanas em um projeto ousado, a Caravana Saúde, Educação e Cultura. Em parceria com o Ministério da Saúde, o projeto passou pelos 26 estados, mais o Distrito Federal, a bordo de um ônibus.

SOBRE O CUCA DA UNE

O Circuito Universitário de Cultura e Arte da UNE (CUCA) é um projeto de continuidade das iniciativas culturais da entidade dentro das universidades brasileiras. Trata-se de uma rede com núcleos em 15 estados brasileiros (São Paulo, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Brasília, Amazonas, Piauí, Bahia, Ceará, Paraíba, Mato Grosso, Maranhão, Roraima, Rio Grande do Norte e Pernambuco), que promove ações em diversas linguagens como audiovisual,artes plásticas, literatura, teatro e música.

INFORMAÇÕES PARA A IMPRENSA E AGENDAMENTO DE ENTREVISTAS

Assessoria de imprensa UNE

Rafael Minoro - 11 8614.2689
imprensa@une.org.br

Camila Hungria – 11 9844.8582
redacao@une.org.br

www.une.org.br
twitter.com/_une
facebook.com/unepelobrasil

Leia mais...

PCdoB 90 anos: Caminhada agita o centro de Fortaleza  

O Comitê Municipal do PCdoB de Fortaleza realizou na manhã deste sábado (17), uma caminhada pelas principais ruas do centro da cidade em comemoração aos 90 anos de fundação do Partido. Estiveram presentes no ato, além da militância comunista, parlamentares, direção dos Comitês Estadual e Municipal, sindicalistas, representantes do movimento comunitário, LGBTT, juventude e mulheres.

A sede do Partido aos poucos foi lotando para a atividade. Os militantes iniciaram a atividade com um bandeiraço na av. Universidade, chamando atenção pela quantidade de bandeiras espalhadas na avenida, conhecida historicamente como “corredor vermelho”, por aglutinar nas campanhas eleitorais comitês dos partidos de esquerda.

Em seguida com muita animação da bandinha de música, os comunistas ocuparam uma das vias em direção à Praça do Ferreira. Durante o percurso houve várias intervenções, palavras de ordem, distribuição de materiais impressos dos parlamentares cearenses e do manifesto em homenagem aos 90 anos do PCdoB. Ao longo de toda a caminhada, foi grande a aceitação de comerciantes e populares ao receberem com carinho as lideranças comunistas.

Durante a caminhada, Carlos Augusto Diógenes (Patinhas), presidente do PCdoB do Ceará, falou sobre a importância do Partido. De forma emocionada, Patinhas destacou as lutas do PCdoB em busca de um Brasil desenvolvido, justo e soberano. O dirigente também frisou o crescimento das fileiras comunistas, que hoje agregam lideranças nas mais diversas frentes: juventude, sindical, comunitária, intelectualidade e parlamento.

O senador Inácio Arruda também teceu um histórico do PCdoB, no discurso proferido em um emblemático ponto da cidade: a Praça do Ferreira. Para o comunista, todas as contribuições que o PCdoB deu ao Brasil foram no sentido de vê-lo fortalecido e livre. Inácio também apontou a necessidade do empenho do conjunto partidário para as eleições de 2012, inclusive em Fortaleza, na qual definiu como primeira ordem um projeto para o pleno desenvolvimento da cidade. Inácio declarou, com firmeza, a alegria e honra que será para o PCdoB governar a capital cearense.

As atividades em comemoração aos 90 anos do PCdoB serão realizadas durante todo o mês de março, com distribuição do Manifesto organizado pelos Comitês Auxiliares do Partido, entrega da Comenda Socorro Abreu, campanhas nas redes sociais e uma Sessão Solene na Assembleia Legislativa do Ceará.

De Fortaleza,
Ivina Carla (estagiária do Portal Vermelho)
Fotos: Rafael Mesquita

Fonte: Portal Vermelho

Leia mais...

Jovens filiam 5 mil durante lançamento do 16º Congresso da UJS  


Nesta semana, União da Juventude Socialista (UJS) lançou em todo Brasil sua campanha para o 16º Congresso Nacional da UJS, que acontecerá entre 7 e 10 de junho, no Rio de Janeiro (RJ), que tem como tema Nas Redes e nas Ruas, lutando pelo Brasil dos Nossos Sonhos. Durante o lançamento, cinco mil pessoas foram filiadas à entidade.

O lançamento ocorreu simultaneamente nas redes sociais e nas ruas de todo país. Durante toda terça-feira (13), dezenas de jovens foram as portas de escolas secundaristas para promover o congreso e filiar novos militantes.

As ações alcançaram as 100 maiores cidades do país. em São Paulo, as panfletagens na Escola Estadual Caetano de Campos filiou 112 jovens. Na Uninove-Barra Funda foram mais de 50 universitários. Mas foram os estados do Rio de Janeiro, Amazonas, Bahia e Rio Grande do Sul que registraram o maior número de filiações.

Às 18h, um tuitaço com a hashtag #NasRedeseNasRuas mobilizou milhares que, que em 20 minutos, alcaçou o 4º lugar nos Trend Topic’s do Twitter no Brasil.

Para André Tokarski, presidente da UJS, essa mobilização demonstra a capacidade de luta da entidade: “A UJS tem demonstrado constantemente sua força e o significado que suas bandeiras de luta têm diante da juventude. A UJS reflete os anseios desses jovens e caminha com eles rumo a um país onde a voz do jovem tem poder e é determinante para os avanços do Brasil”.

Para Monique Lemos, diretora de organização da entidade, “o resultado dessa ação organizada surpreendeu a todos". "É um reflexo de uma juventude que tem sede de participação, que deseja aprofundar ainda mais as mudanças já conquistadas. A UJS apresenta a juventude uma perspectiva de realizar seus sonhos através da luta social”.

Com UJS

Fonte: www.vermelho.org.br

Leia mais...

Câmara de Fortaleza homenageia noventa anos do PCdoB  

Foi realizada nesta sexta-feira (16/03), na Câmara Municipal de Fortaleza (CMFor), Sessão Solene para celebrar os 90 anos da fundação do Partido Comunista do Brasil (PCdoB). Na ocasião, que contou com a presença de lideranças de vários partidos, o senador Inácio Arruda destacou a importância da sigla para a história da política no Brasil e o papel do PCdoB na atualidade, com a necessidade de ampliar a participação do partido e manter a unidade no cenário político local e nacional.

A cerimônia, realizada no plenário Fausto Arruda, foi proposta pela vereadora Eliana Gomes (PCdoB) e contou com a presença dos também vereadores Acrísio Sena (PT), vereador Jaime Cavalcante (PP), vereador Gelson Ferraz, e Fátima Melo (PTN), que recepcionaram o senador Inácio Arruda (PCdoB – CE), os deputados Protógenes Queiroz (PCdoB – SP), João Ananias (PCdoB – CE), Chico Lopes (PCdoB – CE), o deputado estadual Dr. Pierre, o Presidente Municipal do partido, Luis Carlos Paes, o presidente estadual comunista, Carlos Augusto Diógenes, d Secretário de Esportes de Fortaleza, Professor Evaldo Lima, o presidente municipal do PSB, Karlo Cardozo, o presidente municipal do PDT, Papito de Oliveira, além de militantes e representantes de organizações sociais.

Acrísio Sena abriu a cerimônia, passando a presidência da sessão para Eliana Gomes, em tom de homenagem. “Vou agora conceder esse espaço para a maior referência política do PC do B no legislativo municipal, passando o comando da atividade para a nossa guerreira Eliana Gomes”, elogiou. O presidente da CMFor falou das vitórias que conquistou conjuntamente com o PC do B na cidade de Fortaleza, especialmente no exercício da presidência Central Única dos Trabalhadores (CUT) e na presidência da Câmara.

Eliana saudou os presentes falando das conquistas nesses quase 100 anos de trajetória do PCdoB. “Sempre estivemos ao lado das causas mais justas e avançadas do povo brasileiro”, afirma, destacando a participação de militantes do partido na resistência contra o fascismo e o nazismo, na valorização do petróleo nacional, no movimento estudantil e popular, na resistência aos golpes militares, nas “Diretas Já”, na Constituinte de 1988, no combate ao neoliberalismo e na defesa dos povos da América Latina.

A vereadora convidou para falar, em nome do Parlamento Federal, o deputado Protógenes Queiroz. O delegado, licenciado da Polícia Federal e representante do PCdoB de São Paulo, elogiou a diversidade de partidos e militantes que se faziam presentes na festa e saudou a casa legislativa de Fortaleza. “Política se faz do conjunto de pessoas e conjunto de idéias, como o que está representado aqui em Fortaleza e em nosso partido”, completou.

Na sequência, Inácio Arruda fez uso da tribuna, convidado pela presidência da mesa a falar em nome dos 90 anos do partido. “Há noventa anos, as sementes de nosso partido eram plantadas. De lá para cá, permanece o compromisso de construir a sociedade socialista em nosso país e compreender a nossa nação, pois para se fazer o socialismo, temos que nos conectar ao povo, entender o que é o povo. É assim se faz o projeto do PCdoB, apostando no caminho do desenvolvimento da nação”, afirmou. Inácio também lembrou as vitórias conquistas também nos últimos anos, como a escolha dos comunistas em apoiarem o ex-presidente Lula da Silva. “A escolha de 1989 colaborou para a construção de um projeto de esquerda para nosso país e a criação do maior ícone da política nacional”, completou. Sobre os atuais desafios, o comunista disse que hoje o partido caminha para a continuidade do projeto de construir um país modernizado, próspero, democrático e civilizado, destacando que o partido está disposto a representar essas lutas, garantindo a unidade da esquerda, mesmo que haja disputa política. “Queremos a felicidade do povo, que se dá pela saúde, pela educação e pelo trabalho. Essa é a nossa saga, a nossa vida está entregue a essa causa. Fortaleza e Ceará vamos caminhar juntos para o desenvolvimento um arrojado, aposta do nosso partido. Viva o PCdoB. Viva o Brasil!”, destaca.

Fonte: Assessoria da Vereadora Eliana Gomes (PCdoB)

Leia mais...

Prefeitura de Fortaleza lança Edital de convocação para o 3º Encontro Municipal de Movimentos e Organizações de Juventude  

O Encontro Municipal de Movimentos e Organizações de Juventude de Fortaleza - EMJUV, é o espaço de eleição dos(as) conselheiros(as) e suplentes representantes da sociedade civil que irão compor o Conselho Municipal de Juventude de Fortaleza. Esse terceiro Encontro será realizado no dia 21 de abril de 2012, no período de 8h às 17h, no Centro Urbano de Cultura, Arte, Ciência e Esporte – CUCA Che Guevara.


O EMJUV deverá constar de uma mesa de abertura, grupos de trabalho das câmaras temáticas e plenária final. Terá direito a voto o(a) jovem indicado pela organização ou movimento de juventude, devidamente inscrito e com a documentação correta. Poderão se inscrever todo e qualquer movimento e organização de juventude com atuação em Fortaleza.


Serviço:

Edital para Convocação do 3° Encontro Municipal de Movimentos e Organizações de Juventude de Fortaleza - EMJUV.

Período de inscrição: 26 de março de 2012 a 30 de março de 2012, somente nos dias úteis.

Horário: das 8h às 12h e de 14h às 17h.

Local: Avenida Luciano Carneiro, 2235, Vila União.


Baixe o Edital


Fonte: Site da PMF

Leia mais...

Livro “A Privataria Tucana” será lançado em Fortaleza  

Reportagem-denúncia do jornalista Amaury Ribeiro Jr. revela bastidores assombrosos do processo de privatização de várias estatais brasileiras, ocorridas nos anos de 1990.


O livro “A Privataria Tucana”, do jornalista Amaury Ribeiro Jr. será lançado em Fortaleza no próximo dia 15 de março, às 19h, no Auditório da Faculdade de Direito da UFC, com as presenças do autor e do Deputado Federal Protógens Queiroz – (PCdoB/SP), líder do processo de instalação da CPI da Privataria, em Brasília. Na ocasião ocorrerá debate com o tema: Mídia e Privatização no Brasil.

Com cerca de 340 páginas, o livro “A Privataria Tucana” é o resultado de 12 anos de investigações do repórter Amaury Ribeiro Jr. sobre as privatizações de estatais brasileiras, entre elas a Companhia Vale do Rio Doce (empresa do setor de mineração e siderurgia), e a Telebras (empresa de telecomunicações), ocorridas durante o governo Fernando Henrique Cardoso. O livro traz o resgate histórico desse período, evidenciando os bastidores de todo este processo.

Publicado pela Geração Editoral, o livro já é considerado um best-seller, estando na lista dos mais vendidos do país, na categoria de não ficção. Na obra há documentos inéditos sobre lavagem de dinheiro e pagamentos de propinas, todos obtidos em fontes públicas, entre eles os arquivos da CPI do Banestado (banco pertencente ao governo do estado do Paraná) que, antes de privatizado, já era uma das instituições mais sólidas do sistema financeiro.

Com maestria, Ribeiro Jr. descreve em detalhes toda a sinuosa trajetória de corrupção referente à “Era das Privatizações” no Brasil, trazendo, como poucas vezes vista, uma visão contundente e realista dos bastidores da política e que, apesar de se tratar de uma reportagem investigativa, vem com o entusiasmo dos grandes thrillers policiais, captando a atenção do leitor da primeira a última linha.

Serviço

Lançamento do livro “A Privataria Tucana”.

Palestra: “Mídia e Privatização no Brasil”.

Presenças confirmadas: Jornalista Amaury Ribeiro Jr e Deputado Protógenes Queiroz.
Data: quinta-feira (15/03)
Local: Auditório da Faculdade de Direito da UFC, às 19h.

Leia mais...

#NasRedesNasRuas: UJS promove dia de mobilização Nacional  

É na porta das escolas e universidades em todo o país que a UJS convoca a juventude para participar do seu 16º Congresso Nacional. O lançamento público da atividade aconteceu nesta terça (13). Simultaneamente hashtag #NasRedesNasRuas ocuparam a timeline das redes sociais. A TV Vermelho acompanhou uma panfletagem e produziu o vídeo abaixo em conjunto com a UJS.





Fonte: www.vermelho.org.br

Leia mais...

Caravana da UNE articula programação em Fortaleza  

Giovanna Caldas, produtora da Caravana da UNE, está em Fortaleza para articular a programação da atividade que mobilizará estudantes da capital cearense nos dias 19 e 20 de abril deste ano. Além de Fortaleza, mais 11 cidades receberão a mobilização estudantil. A atividade, que acontecerá entre os dias 28 de março e 15 de maio de 2012, faz parte da comemoração dos 75 anos da União Nacional dos Estudantes.

Com o tema “Brasil+10, educação, desenvolvimento e justiça ambiental”, a Caravana da UNE passará por 12 cidades do território brasileiro, trazendo para cada local, uma provocação direcionada aos estudantes a fim de aprofundar o pensamento sobre os desafios colocados no horizonte da nação para os próximos 10 anos, voltados em especial para a educação e formação dos jovens, o desenvolvimento da nação e sua justiça ambiental.

Fortaleza

Em Fortaleza, Giovanna Caldas e Ivo Braga, diretor da UNE, já articulam a programação que mobilizará os estudantes em torno do debate sobre “o Brasil que queremos para os próximos 10 anos”. Os organizadores já realizaram reuniões com a Coordenadoria de Juventude da Prefeitura de Fortaleza, Secretaria de Cultura do Governo do Estado, Reitoria da UFC e FIC.

Na quinta-feira (19/04), a partir das 19h, no auditório da FIC, os estudantes participarão de um debate sobre o Programa Universidade para Todos (Prouni) e suas perspectivas no Ceará e no Brasil. Daniel Iliescu, Presidente da UNE, participará do encontro.

Na sexta-feira (20/04), as atividades estarão concentradas na UFC. A programação começa com um cortejo cultural, formado por atores e músicos, que passará pelos corredores da universidade, convidando todos os alunos para assistirem o Aulão Brasil+10.

O aulão acontecerá a partir das 9h e deverá discutir temas como eficiência nos serviços e gestão pública, educação e transformação social, saúde e qualidade de vida, trabalho e empreendedorismo, meio ambiente e o território nacional, esporte e megaeventos mundiais, transporte e o direito ao território, ciência, tecnologia e inovação, cultura da ética, da estética e da economia, novas formas de comunicação e inclusão digital, democracia e participação social, juventude e direitos humanos.

A partir do meio dia, a mobilização estudantil estará voltada para as questões locais da universidade. A equipe da UNE fará reuniões com as entidades estudantis e representantes da UFC para debater questões educacionais concretas. No período da tarde, a Casa Amarela Eusélio Oliveira receberá a estudantada. A Caravana da UNE apresentará o filme “O afeto que se encerra em nosso peito juvenil”, de Silvio Tendler. Em seguida, o Circuito Universitário de Cultura e Arte da União Nacional dos Estudantes, CUCA da UNE, realizará uma reunião envolvendo estudantes, artistas e representantes de Pontos de Cultura locais. O encerramento da Caravana da UNE será com uma atividade cultural que ainda está sendo definida pela organização do evento.

Saiba mais

A Caravana UNE Brasil+10 passará por 24 universidades em 12 estados brasileiros levando para cada local uma provocação direcionada aos jovens, estudantes, professores, funcionários, comunidade ao redor e demais atores locais. O objetivo é aprofundar o pensamento sobre os desafios colocados no horizonte da nação para os próximos 10 anos, no que tange a educação, o desenvolvimento e a sustentabilidade. A caravana tem como objetivo promover, dentro das universidades, espaços de debates e intervenções culturais que subsidiem uma profunda reflexão sobre os caminhos e destinos do país na próxima década.

Cidades que receberão a Caravana da UNE

Manaus, Belém, Fortaleza, Natal, Recife, Brasília, Porto Alegre, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, Salvador

De Fortaleza,
Carolina Campos (com informações da UNE)

Fonte: www.vermelho.org.br/ce

Leia mais...

Dia 13 de Março, a UJS invade as Redes e as Ruas do país  


Neste dia 13 (terça-feira) às 18h a União da Juventude Socialista realizará um grande lançamento público de seu 16º congresso, a mobilização será através de um tuitaço com a hashtag #NasRedesNasRuas e grandes panfletagens nas 100 maiores cidades do país, universidades e escolas.

Segundo Ismael Cardoso, Dir. Nacional de Comunicação da UJS, “Essa ação organizada tem o objetivo de fazer uma apresentação de nossas bandeiras nestes 16º congresso da UJS, chegando de uma só vez a milhões de jovens, seja nas universidades, nas escolas ou na internet”, finalizou Ismael.

Para André Tokarski, Presidente Nacional da UJS, “essa ação representa a visão de uma juventude atualizada com as novas formas de luta, mas, sem perder o centro de sua ação, que é mobilizar grandes passeatas por todo país... A UJS faz parte dessa nova realidade e visa essa intersecção, entre redes sociais e ruas, para ampliar sua intervenção na sociedade”.

As atividades serão realizadas de maneira diferente em cada Estado e cidade do país. Em Minas Gerais ocorrerão caminhadas nos principais pontos do Estado, em Belo Horizonte haverá uma grande atividade cultural no colégio mais tradicional da cidade, o colégio Estadual Central, onde estudou a presidenta Dilma Roussef. No Estado do Rio de Janeiro as atividades serão nas entradas e saídas das principais universidades, em São Paulo o ponto alto será as 18h00 em frente à Universidade UNINOVE-Barra Funda, com a presença do vereador Netinho de Paula.

No nordeste não será diferente, as atividades estão marcadas para os principais pontos de referência da juventude, em Pernambuco o IFPE e a UFPE são uns dos locais marcados para o grande lançamento, assim como no Ceará, que concentrará o lançamento na Universidade Federal do Ceará (UFC).

Serviço

O quê: Lançamento do 16º Congresso da UJS
Onde: Em todos os lugares possíveis do Brasil
Quando: 13 de março (terça-feira) às 18h.

Leia mais...

Ricardo Teixeira renuncia e é assunto mais comentado do Twitter  

Após uma sequência de denúncias sobre irregularidades nos 23 anos em que esteve à frente da Confederação Nacional de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira pediu demissão na manhã desta segunda-feira (11). Ele também deixou o COL (Comitê Organizador Local da Copa-2014).




Em carta, lida na manhã desta segunda-feira (11) no Rio pelo seu sucessor, José Maria Marin, ele diz que vai cuidar da saúde e ficar com sua família, mas se coloca à disposição para continuar colaborando com o futebol brasileiro. Resta saber quem o vai querer.

Desde o final do ano passado, internautas iniciaram a campanha #foraRicardoTeixeira no twitter. O assunto ficou entre os mais comentados do país. Até o momento, Ricardo Teixeira é o assunto mais comentado da rede no Brasil e o 7º mais comentado no mundo.

São várias as denúncias que Teixeira carrega nos ombros. A Fifa o acusa de estar envolvido no maior escândalo de sua história. O chamado dossiê da ISL, ex-agência de marketing da entidade, falida em 2001, será avaliado pela Corte Federal da Suíça e tem documentos considerados comprometedores para Teixeira.

Histórico

Em 2000, Teixeira foi alvo de duas CPIs (Comissões Parlamentares de Inquérito) no Congresso Nacional. Segundo o próprio Teixeira, o título da seleção no Mundial de 2002 serviu para lhe dar força e conseguir manter-se à frente da CBF.

Em 2011, ele chegou a dizer que “cagava montão” para as denúncias que seguiram sendo feitas contra ele.

Com os indícios de irregularidades, deputados começaram a cobrar explicações sobre a Copa do Mundo de 2014 no Brasil. O enriquecimento do mandatário desde que assumiu a direção da CBF chamou a atenção.

Carreira

Sua gestão também ficou marcada por parcerias milionárias (especialmente com a Nike), viradas de mesa no Campeonato Brasileiro, escândalos de arbitragem e CPIs no Congresso.

Apesar disso, sob seu mandato, a seleção brasileira venceu a Copa do Mundo duas vezes (1994 e 2002) e encerrou um jejum de 24 anos. Ainda conquistou por três vezes a Copa das Confederações e em cinco vezes levantou a taça da Copa América.

Sucessor

De acordo com o estatuto da CBF, a instituição será assumida pelo vice-presidente mais idoso. Assim, José Maria Marin, de 79 anos, será o novo dirigente.

Marin também já se complicou. Representante do Sudeste e ex-governador de São Paulo, o dirigente recentemente foi flagrado por câmeras de TV colocando no próprio bolso uma das medalhas da premiação do título da Copa São Paulo de juniores conquistado pelo Corinthians.

Da Redação do Vermelho,
com informações da Folha de São Paulo e do R7

Leia mais...

PCdoB/CE inicia programação dos 90 anos do partido  

Campanha nas mídias sociais, sessões solenes, programas de rádio e TV, caminhadas e atividades em todo o Ceará. Será diversificada a programação em comemoração aos 90 anos de história do Partido Comunista do Brasil (PCdoB), que será comemorado do dia 25 de março.




A partir deste domingo (11/03), o PCdoB/CE inicia sua programação em comemoração aos 90 anos do partido. Com a campanha "PCdoB65 - Noventa anos", os comunistas invadirão a internet e as ruas através das mídias sociais, outdoor, adesivos de carro e programas de rádio e TV. As ações tiveram início na internet, especialmente no Facebook e no Twitter, mídias sociais mais populares da rede.

Já nesta segunda-feira (12/03), serão instaladas em Fortaleza 50 placas de outdoor, que ficarão expostas durante duas semanas. No mesmo dia também terá início a distribuição e colagem de adesivos para carros.

A programação das festividades continua até o final do mês. Na próxima sexta-feira (16/03), a partir das 9h, a Câmara dos Vereadores de Fortaleza realizará uma Sessão Solene em alusão aos 90 anos do partido. No sábado (17/03), os comunistas participarão de uma caminhada pelas ruas do Centro de Fortaleza. A concentração será a partir das 8h, em frente à sede do Comitê Municipal (Av. da Universidade, 1814 – Centro).

A Assembleia Legislativa do Ceará também renderá homenagens ao partido mais antigo do Brasil. A Sessão Solene será no dia 29/03, a partir das 19h. Já no dia 02 de abril, tem início a veiculação das inserções de TV e rádio, cujo tema será o aniversário do PCdoB e sua ligação com o Ceará.

A programação se estenderá por todo o Ceará e também a nível nacional. No sábado (24/03), a Praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, será o palco da grande festa de comemoração aos 90 anos do PCdoB. Martinho da Vila será a grande atração e fará show para os comunistas. Na segunda-feira (26), a festividade será em Brasília. Em Sessão Solene, o Congresso Nacional também fará homenagem aos 90 anos do PCdoB, partido com trajetória de luta em defesa do povo brasileiro.

De Fortaleza,
Carolina Campos

Fonte: www.vermelho.org.br

Leia mais...

Índios vendem direitos sobre terras na Amazônia  

Por US$ 120 milhões, índios da etnia mundurucu venderam a uma empresa estrangeira direitos sobre uma área com 16 vezes o tamanho da cidade de São Paulo em plena floresta amazônica, no município de Jacareacanga (PA). O negócio garante à empresa “benefícios” sobre a biodiversidade, além de acesso irrestrito ao território indígena.

No contrato, ao qual o Grupo Estado teve acesso, os índios se comprometem a não plantar ou extrair madeira das terras nos 30 anos de duração do acordo. Qualquer intervenção no território depende de aval prévio da Celestial Green Ventures, empresa irlandesa que se apresenta como líder no mercado mundial de créditos de carbono.

Sem regras claras, esse mercado compensa emissões de gases de efeito estufa por grandes empresas poluidoras, sobretudo na Europa, além de negociar as cotações desses créditos. Na Amazônia, vem provocando assédio a comunidades indígenas e a proliferação de contratos nebulosos semelhantes ao fechado com os mundurucus. A Fundação Nacional do Índio (Funai) registra mais de 30 contratos nas mesmas bases.

Só a Celestial Green afirmou ter fechado outros 16 projetos no Brasil, que somam 200 mil quilômetros quadrados. Isso é mais de duas vezes a área de Portugal ou quase o tamanho do Estado de São Paulo. A terra dos mundurucus representa pouco mais de 10% do total contratado pela empresa.

“Os índios assinam contratos muitas vezes sem saber o que estão assinando. Ficam sem poder cortar uma árvore e acabam abrindo caminho para a biopirataria”, disse Márcio Meira. “Temos de evitar que oportunidades para avançarmos na valorização da biodiversidade disfarcem ações de biopirataria”, reagiu a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira.

O principal executivo da Celestial Green, Ciaran Kelly, afirma que todos os contratos da empresa com comunidades indígenas passam por um “rigoroso processo de consentimento livre, prévio e informado”, segundo normas internacionais.

(Agência Estado)

Fonte: Blog do Eliomar

Leia mais...

Senado e PCdoB homenageiam Maria Prestes  


No dia 13, a militante comunista Maria Prestes, viúva de Luiz Carlos Prestes, recebe o Prêmio Berta Lutz, juntamente com a presidenta Dilma Roussef, às 10 horas. Às 19 horas, Maria Prestes irá à sede do PCdoBDF, onde fará palestra, com a deputada federal Jô Moraes (PCdoB-MG) e a secretária de Estado da Mulher no Distrito Federal, Olgamir Amancia, sobre a mulher e a militância comunista.

O prêmio Berta Lutz foi instituído pelo Senado em 2001 como forma de homenagear mulheres de todo o país que tenham prestado relevantes serviços na defesa dos direitos femininos e em questões de gênero.

Altamira Rodrigues Sobral, que adotou o nome Maria Prestes durante sua militância na clandestinidade, receberá Prêmio Berta Lutz por indicação do senador Inácio Arruda (PCdoB-CE) e aprovação unânime do Comitê do Senado encarregado de escolher as premiadas. O Comitê é presidido pela senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM).

Maria Prestes nasceu em Recife, em 2 de fevereiro de 1930. Cedo, perdeu a mãe. Ainda criança, ajudou o pai, João Rodrigues Sobral na militância política. Ele era o “camarada Lima”, e participou do Levante de 1935, quando preso e torturado, mas conseguiu fugir durante uma transferência para o Distrito Federal (na época, Rio de Janeiro).

Orientada pelo pai, Maria passou a infância e a adolescência (anos 30 e 40) ajudando o Partido Comunista na resistência durante a ditadura Vargas, participando de greves, comícios, passeatas, divulgando livros e jornais marxistas.

Em junho de 1950 nasceu seu primeiro filho, William, que mais tarde seria chamado de Pedro. Separada do primeiro marido, deixou o Nordeste rumo a São Paulo. Neste momento o Comitê Central do Partido Comunista deu-lhe uma certidão de nascimento falsa, com o nome que usa até hoje, Maria do Carmo Ribeiro. Seu primeiro filho, William passa a ser Pedro Fernandes e o segundo filho, Luiz Carlos, passa a ser Paulo Roberto.

Na capital paulista, recebeu a missão de cuidar de “aparelhos” (residências clandestinas de dirigentes comunistas). Em 4 de dezembro de 1952 conheceu Luiz Carlos Prestes, na época Secretário Geral do Partido Comunista do Brasil, que na época usava a sigla PCB. Maria recebeu a incumbência de cuidar de seu esconderijo, onde seguia as mais rigorosas normas de segurança.

Maria e Luiz se enamoram e deram início a uma relação que durou 40 anos. Desta relação nasceram Antônio João, Rosa, Ermelinda, Luiz Carlos, Mariana, Zoia e Iuri. Em 1970 toda a família se exilou na União Soviética. Lá, Maria aprendeu o russo. Após 10 anos de clandestinidade, com a lei da Anistia, Prestes e Maria retornaram ao Brasil. Em meados dos anos 1980, Prestes se aproxima do PDT e Maria foi uma das coordenadoras do Coletivo de Mulheres do PDT.

Ambos trabalham intensamente na campanha de Brizola à Presidência da República em 1989. No dia 7 de março de 1990 faleceu Luiz Carlos Prestes. Em 1992, Maria lançou um livro: “Meu Companheiro – 40 anos ao lado de Luiz Carlos Prestes”. Hoje sua família é composta, além dos filhos, por 25 netos (inclusive Ana Prestes, do Comitê Central do PCdoB) e nove bisnetos.

De 1990 até os dias de hoje, 2012, Maria segue fiel à sua trajetória de militante política. Hoje não está formalmente organizada em nenhum partido, mas participa de inúmeras palestras, debates e encontros políticos, como o que acontecerá na sede do PCdoB-DF, no Brasil, divulgando a vida de Prestes, sua própria militância e seus valores de mulher que acredita na transformação social.

Serviço:
A sede do PCdoB-DF fica no Conic, SDS ed. Venâncio Júnior, sala 201 - Brasília-DF - Telefone: (61)-3321-6565

Fonte: Vermelho

Leia mais...

Eliana Gomes: Mais poder político para as mulheres  

O próximo Dia Internacional da Mulher, 8 de março, é mais um momento para fazermos a reflexão sobre o papel exercido pelas mulheres nos rumos de Fortaleza, do Ceará e do Brasil.

Por Eliana Gomes*

A organização das mulheres no centro das decisões políticas em associações comunitárias, sindicatos, partidos, organizações não governamentais, entidades, grupos religiosos e outros grupos coletivos, aprofunda a construção democrática de um novo projeto nacional de desenvolvimento que necessita da presença efetiva das mulheres. Superar os obstáculos da participação política feminina nos espaços de poder e decisão é a tarefa do século que desafia, ainda mais, as forças progressistas, populares e avançadas de nossas sociedades.

Se, por um lado, há muito a comemorar - com a presença em nível nacional de uma mulher na Presidência da República e, agora em 2012, com a comemoração dos 80 anos do direito ao voto feminino no Brasil - por outro lado, dados nacionais de participação da mulher nos parlamentos e nos executivos municipais e estaduais mostram que a predominância masculina ainda é a realidade atual.

Mesmo representando 52% do eleitorado brasileiro, apenas 46 dos 513 deputados federais são mulheres. Na Assembleia Legislativa do Ceará, das 46 cadeiras, a bancada feminina conta com seis parlamentares. Na Câmara de Fortaleza, somos somente quatro de 41 vereadores.

É necessário que liberemos as mulheres, que já somam, segundo os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 38,7% dos chefes de família, para a vida pública, as artes, as ciências, a política. Isso envolve questões que vão desde a divisão do trabalho doméstico, prioritariamente, com o Estado, até ganhos salariais equivalentes aos dos homens, passando pela garantia de acesso a diferentes benefícios, como o direito à moradia com titularidade feminina; creches no horário de trabalho e escolas de tempo integral; saúde pública que atenda às mulheres em todas as fases de sua vida e previdência social com atenção de gênero.

Para isso, a organização em torno das lutas que envolvam não só as relações de gênero, mas de outras diferenças ainda são fundamentais. Somente atuando na reivindicação de questões que atendam “as maiorias que ainda são tratadas como minorias” é que alcançaremos resultados ainda mais significativos, que representam a conquista de igualdade com respeito às diferenças.

* Eliana Gomes é Vereadora de Fortaleza (PCdoB)

Fonte: OPovo

Leia mais...

UBM realiza caminhada em defesa das mulheres na política  

A União Brasileira de Mulheres no Ceará (UBM/CE) realiza nesta quinta-feira (08/03) uma caminhada pelas ruas do Centro de Fortaleza. Reunindo mais de 15 entidades ligadas aos movimentos sociais, o ato tem como lema “Mais poder político para as mulheres”.

No dia em que o mundo comemora o Dia Internacional da Mulher, representantes de movimentos sociais feministas, juventude e sindicalista estarão reunidos em Fortaleza na busca de mais direitos para as mulheres. A concentração acontecerá a partir das 15h, na Praça do BNB, no Centro de Fortaleza. A manifestação percorrerá as principais ruas do centro.

Para Nágyla Drumond, secretária estadual de Movimentos Sociais do PCdoB e membro da UBM/CE, a maior participação na política é um dos grandes desafios das mulheres do Século XXI. “Neste ano em quem comemoramos os 80 anos da conquista das mulheres ao direito ao voto, temos que nos inserir no centro deste debate. Não queremos substituir os homens, mas assumir a esfera pública como um espaço de elaboração, atuação e visibilidade”, defende.

De Fortaleza,
Carolina Campos

Fonte: www.vermelho.org.br/ce

Leia mais...

Projeto cria o programa Bolsa-Artista  


Os artistas brasileiros em início de carreira poderão contar com um auxílio financeiro do governo, destinado a financiar sua formação e aprimoramento, caso o PLS 404/2011, que cria o programa Bolsa-Artista, seja aprovado. A proposta é do senador Inácio Arruda (PCdoB-CE) e será votada em decisão terminativa pela Comissão de Educação (CE).

O senador explica, em sua justificativa, que a iniciativa é inspirada no programa Bolsa-Atleta, que tem o objetivo de valorizar os talentos esportivos do país. A bolsa-artista, por sua vez, seria um mecanismo de apoio e incentivo a artistas iniciantes, mas com potencial já evidenciado em seus campos de atuação. Será custeada pela União.

Poderão participar do processo seletivo, a ocorrer anualmente, artistas dos campos das artes literárias, musicais, cênicas, visuais e audiovisuais, em suas variedades eruditas e populares. Os critérios e os valores dessa bolsa serão fixados posteriormente, em regulamento. Ela será concedida por um ano, em 12 parcelas mensais, e destina-se ao desenvolvimento das habilidades dos artistas, e não a projetos culturais específicos.

“Pretendemos, dessa forma, criar condições para que se desenvolvam talentos em diversas áreas artísticas que, muitas vezes identificados na infância ou adolescência, não encontram oportunidade de se desenvolver e se integrar ao cenário artístico e cultural do país”, explica Inácio Arruda na justificativa ao projeto.

Para se habilitar, o candidato ao benefício precisa ter pelo menos 12 anos na data da apresentação da candidatura. Se tiver menos de 18 anos, deve estar regularmente matriculado em instituição de ensino pública ou privada, salvo se já houver concluído o ensino médio. No ato da inscrição, deve apresentar um plano anual de formação ou aprimoramento no seu campo de atuação, contendo currículo, detalhamento das atividades a serem realizadas e dos objetivos e metas a alcançar, tudo isso acompanhado de documentos e imagens considerados relevantes para a compreensão da trajetória do artista.

A matéria já tem voto favorável da relatora na CE, senadora Lídice da Mata (PSB-BA).


Leia mais...

Copom: Manifestação em Fortaleza defende redução da taxa de juros  

Diversas entidades ligadas aos movimentos sociais realizam na manhã desta quarta-feira (07/03), a partir das 9h, uma manifestação em defesa da redução da taxa de juros. O ato será em frente à sede do Banco Central, em Fortaleza, Hoje é o último dia da segunda reunião ordinária do Comitê de Política Monetária (Copom), quando será definida a nova taxa de juros.

Representantes de diversas frentes de movimentos sociais como estudantes, mulheres e centrais sindicais realizarão um ato em defesa da política macroeconômica brasileira. Ivo Braga, diretor da União Nacional dos Estudantes (UNE), avalia a elevada taxa de juros como um entrave para investimentos importantes no país. “Se observarmos o Orçamento Geral da União, cerca de 40% dos recursos são destinados ao pagamento de juros e amortização da dívida pública e apenas 3% é investido em educação. Precisamos virar este jogo”, defende.

Para Nágyla Drumond, Secretária Estadual de Movimentos Sociais do PCdoB, é fundamental o engajamento da sociedade na luta pela redução dos juros. “Defendemos que o Brasil priorize investimentos em áreas essenciais como saúde, educação e segurança, para que possa de desenvolver ainda mais”. A manifestação em defesa da redução e da taxa de juros assim como as atividades relativas ao 8 de março, Dia Internacional da Mulher, fazem parte do calendário de ações realizadas pelo Fórum Estadual de Movimentos Sociais.

Saiba mais

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) iniciou na útlima terça-feira (06/03) a segunda reunião do ano para avaliar se o momento econômico é adequado para promover mais uma redução da taxa básica de juros (Selic), que está em 10,50% ao ano e, em caso positivo, determinar de quanto será a redução.

As reuniões do Copom são feitas sempre em duas etapas – na terça e na quarta-feira – a dose exata só será conhecida na noite desta quarta-feira (07), quando terminar a segunda etapa da reunião, que tem periodicidade média de 45 dias. Na primeira sessão, os chefes de departamento do BC apresentam análises da conjuntura doméstica sobre inflação, nível de atividade, finanças públicas e outras variáveis. Só na sessão seguinte, os diretores discutem e definem a taxa Selic mais apropriada para o momento.

De Fortaleza,
Carolina Campos (com informações da Agência Brasil)

Fonte: www.vermelho.org.br

Leia mais...