Blog UJS Ceará

O blog de política da juventude cearense!

UJS Fortaleza: um ano de grandes vitórias  

Mais um ano se encerrou, com ele ficaram as lembranças dos momentos importantes e das grandes realizações dessa aguerrida militância da União da Juventude Socialista. Foi um ano de muita agitação no campo dos movimentos sociais e de debates fundamentais para o futuro do nosso país. Como não poderia ser diferente, nós, jovens socialistas de Fortaleza, também fizemos nossa parte.

E para homenagear a militância e valorizar o seu esforço, vamos rememorar as principais ações da UJS de Fortaleza no ano de 2009. Uma homenagem justa, pois tudo que fizemos só foi possível, graças à dedicação de todos que compõem nossa entidade ou, mesmo não fazendo parte, confiam no trabalho que desenvolvemos.

Foi um período de muita agitação. Logo em janeiro participamos da Bienal de Cultura e Arte e do Conselho de Entidades de Base da UNE, ambos em Salvador. Dois momentos que já anunciavam a complexa batalha que vinha pela frente: O 51º Congresso da UNE, previsto para o mês de julho.

Grandes expectativas cercaram esse congresso, pois agora todos os delegados deveriam ser eleitos por votação em urnas. Esse novo método de eleição deu vigor ao processo de mobilização para o congresso e aprofundou ainda mais nossa intervenção no movimento universitário. Elegemos uma grande bancada e nos destacamos como a única força juvenil com representantes de todas as universidades de Fortaleza.

Já no segundo semestre passamos a dedicar mais atenção ao movimento secundarista com vistas ao 38º Congresso da UBES e o 2º Congresso da Associação Cearense dos Estudantes Secundaristas (ACES). Assim como a UNE, a entidade nacional dos secundaristas inovou, adotando o método de eleição em urna e garantindo, assim, maior legitimidade ao processo. Novamente, mostramos a capacidade de nossa mobilização, elegendo delegados em importantes escolas de Fortaleza, com destaque para o 2 de Maio, Liceu de Messejana e Liceu Vila Velha.

Depois de toda mobilização, fomos para a etapa estadual do 38º Congresso da UBES - que foi concomitante ao 2º Congresso da ACES - com uma bancada coesa e politizada. Com muita agitação e boas intervenções, saímos vitoriosos dessa batalha. Além de garantir a participação dos secundaristas cearenses na etapa nacional do congresso da UBES, consolidamos a ACES como a mais representativa entidade secundarista do Ceará.

Entre um congresso e outro, também realizamos vários debates, promovemos o 1º curso Municipal de Formação e participamos ativamente da agenda de mobilização da cidade de Fortaleza. Com certeza, 2009 foi um ano de importantes conquistas. Agora temos que olhar para frente e projetar para 2010 mais avanços e vitórias. Nesse rumo, podemos construir um Brasil mais forte e democrático que queremos. Um forte abraço a toda militância e amigos da UJS de Fortaleza.

Segue abaixo um resumo das principais atividades de 2009.

JANEIRO

Comemoração dos 50 anos da Revolução Cubana

Promovemos uma atividade na sede da UJS para comemorar os 50 anos da Revolução Cubana, que contou com exibição de um filme sobre a trajetória de Fidel Castro, um debate com o professor Evaldo Lima e uma festa Cubana, com a presença de 60 pessoas.

CONEB da UNE e Bienal da UNE

Mobilizamos vários estudantes e Centros Acadêmicos das Universidades de Fortaleza para o 12º Conselho de Entidades de Base da UNE e a Bienal de Cultura e Arte da UNE em Salvador – BA.

FEVEREIRO

Plenária Municipal

Realizamos a Plenária Municipal para debater as principais atividades do 1º semestre do ano, com destaque para o Congresso da UNE.

MARÇO

PPA Juventude

Participamos do processo de discussão do Plano Plurianual (2010 – 2013) de juventude em que apresentamos emendas na área de qualificação profissional.

Curso Municipal de Formação

Organizamos o 1º Curso de Formação da UJS de Fortaleza com a presença de 30 militantes da UJS.

Planejamento da Direção Municipal

Realizamos nosso planejamento anual com objetivo de organizar nossas ações.

ABRIL

Campanha para o 51º Congresso da UNE

Iniciamos o processo de mobilização para o 51º CONUNE, no qual obtivemos bons resultados nas eleições dos delegados, principalmente nas universidades (UFC, UNIFOR e UECE). Também realizamos plenárias semanais para formação da bancada.

MAIO

Conferência Livre de juventude de Segurança Pública

Participamos da Conferência Livre de Juventude, organizada pela Coordenadoria da Juventude de Fortaleza.

Campanha conta o toque de recolher

Promovemos uma campanha contra a proposta do Toque de Recolher para a juventude. Fomos a 1ª entidade a publicar uma nota condenando esse mecanismo. Também realizamos panfletagens nas escolas e participamos de um debate sobre o tema na rádio Parreão.

JUNHO

Seminário sobre educação

Realizamos um debate sobre a educação no Brasil com a participação de vários filiados, principalmente secundaristas.

Conferência Municipal de Educação

Participamos da Conferência Municipal de Educação, compondo a comissão organizadora.

AGOSTO

Debate sobre a Guerrilha do Araguaia e os Estudantes Cearenses

Organizamos um debate sobre a participação dos estudantes cearenses na Guerrilha do Araguaia, com destaque para o estudante Bergson Gurjão. Publicamos uma nota em sua homenagem em razão do enterro de sua ossada.

Plenária Municipal

Realizamos a Plenária Municipal para debater as principais atividades do 1º semestre do ano, com destaque para o Congresso da UBES.

Início do Congresso de Juventude

Participamos ativamente do 1º Congresso Municipal de Juventude, organizado pela Coordenadoria de Juventude. Apresentamos propostas para elaboração do Plano Municipal de Juventude, com destaque para área de educação e esporte.

SETEMBRO

Congresso da UBES e da ACES

Iniciamos a campanha do 38º Congresso da UBES e o 2º Congresso da ACES. Ocorreram diversas eleições importantes (Liceu Vila Velha, 2 de Maio, Jenny Gomes, Liceu de Messejana entre outras) e plenárias semanais para debater as nossas propostas.

Eleição do DCE da UFC

Disputamos a eleição pro DCE da UFC com uma chapa competitiva que apesar de não sair vitoriosa ampliou nossa influencia em diversos cursos.

Aniversário da UJS

Contribuímos com a organização da festa de aniversário da UJS no Ceará

OUTUBRO

Conferência Municipal de Comunicação

Participamos da 1ª Conferência Municipal de Comunicação

NOVEMBRO

Etapa estadual do Congresso da UEBS e Congresso da ACES

Mobilizamos uma grande bancada de Fortaleza para a etapa estadual do Congresso da UBES e para o 2º Congresso da ACES.

Outras ações:

• Audiências públicas sobre diversos temas;
• Eleições de vários CA’s (Direito UNIFOR, Ciências Contábeis UFC, Psicologia UNIFOR, Direito F7 entre outros);
• Eleições de Grêmios (Liceu Messejana, Flávio Marcílio, Hilza Diogo entre outros);
• Passeatas e manifestações (greve dos professores e ato pela reserva de vagas).


Fonte: Direção Municipal da UJS Fortaleza.

MATÉRIAS RELACIONADAS:

2 Comentários:

  • Atualizações via email  
    03/01/2010 20:23

    DENÚNCIA: SÍTIO CALDEIRÃO, O ARAGUAIA DO CEARÁ – UMA HISTÓRIA QUE NINGUÉM CONHECE PORQUE JAMAIS FOI CONTADA...




    "As Vítimas do Massacre do Sítio Caldeirão
    têm direito inalienável à Verdade, Memória,
    História e Justiça!" Otoniel Ajala Dourado




    O MASSACRE APAGADO DOS LIVROS DE HISTÓRIA


    No município de CRATO, interior do CEARÁ, BRASIL, houve um crime idêntico ao do “Araguaia”, foi o MASSACRE praticado por forças do Exército e da Polícia Militar do Ceará no ano de 1937, contra a comunidade de camponeses católicos do Sítio da Santa Cruz do Deserto ou Sítio Caldeirão, que tinha como líder religioso o beato "JOSÉ LOURENÇO", paraibano de Pilões de Dentro, seguidor do padre Cícero Romão Batista, encarados como “socialistas perigosos”.



    O CRIME DE LESA HUMANIDADE


    O crime iniciou-se com um bombardeio aéreo, e depois, no solo, os militares usando armas diversas, como fuzis, revólveres, pistolas, facas e facões, assassinaram mulheres, crianças, adolescentes, idosos, doentes e todo o ser vivo que estivesse ao alcance de suas armas, agindo como se fossem juízes e algozes.



    A AÇÃO CIVIL PÚBLICA AJUIZADA PELA SOS DIREITOS HUMANOS


    Como o crime praticado pelo Exército e pela Polícia Militar do Ceará foi de LESA HUMANIDADE / GENOCÍDIO / CRIME CONTRA A HUMANIDADE é considerado IMPRESCRITÍVEL pela legislação brasileira bem como pelos Acordos e Convenções internacionais, e por isso a SOS - DIREITOS HUMANOS, ONG com sede em Fortaleza - Ceará, ajuizou no ano de 2008 uma Ação Civil Pública na Justiça Federal contra a União Federal e o Estado do Ceará, requerendo que: a) seja informada a localização da COVA COLETIVA, b) sejam os restos mortais exumados e identificados através de DNA e enterrados com dignidade, c) os documentos do massacre sejam liberados para o público e o crime seja incluído nos livros de história, d) os descendentes das vítimas e sobreviventes sejam indenizados no valor de R$500 mil reais, e) outros pedidos



    A EXTINÇÃO SEM JULGAMENTO DE MÉRITO DA AÇÃO


    A Ação Civil Pública inicialmente foi distribuída para o MM. Juiz substituto da 1ª Vara Federal em Fortaleza/CE e depois, redistribuída para a 16ª Vara Federal na cidade de Juazeiro do Norte/CE, e lá chegando, foi extinta sem julgamento do mérito em 16.09.2009.



    AS RAZÕES DO RECURSO DA SOS DIREITOS HUMANOS PERANTE O TRF5


    A SOS DIREITOS HUMANOS apelou para o Tribunal Regional da 5ª Região em Recife, com os seguintes argumentos: a) não há prescrição porque o massacre do Sítio Caldeirão, é um crime de LESA HUMANIDADE, b) os restos das vítimas do Sítio Caldeirão não desapareceram da Chapada do Araripe a exemplo da família do Czar Romanov, que foi morta no ano de 1918 e encontrada nos anos de 1991 e 2007;



    A SOS DIREITOS HUMANOS DENUNCIA O BRASIL PERANTE A OEA


    A SOS DIREITOS HUMANOS, a exemplo dos familiares das vítimas da GUERRILHA DO ARAGUAIA, denunciou no ano de 2009, o governo brasileiro na Organização dos Estados Americanos – OEA, pelo desaparecimento forçado de 1000 pessoas do Sítio Caldeirão.


    QUEM PODE ENCONTRAR A COVA COLETIVA


    A “URCA” e a “UFC” com seu RADAR DE PENETRAÇÃO NO SOLO (GPR) podem encontrar a cova coletiva, e por que não a procuram? Serão os fósseis de peixes procurados na Chapada do Araripe mais importantes que os restos mortais das vítimas do SÍTIO CALDEIRÃO?



    COMISSÃO DA VERDADE ATRAVÉS DO PROJETO CORRENTE DO BEM


    A SOS DIREITOS HUMANOS solicita apoio técnico para encontrar a COVA COLETIVA, também que o internauta divulgue esta notícia em seu blog, e o envie para seu representante na Câmara municipal, Assembléia Legislativa, Câmara e Senado Federal, solicitando um pronunciamento exigindo do Governo Federal que informe a localização da COVA COLETIVA das vítimas do Sítio Caldeirão.



    Paz e Solidariedade,



    Dr. OTONIEL AJALA DOURADO
    OAB/CE 9288 – 55 85 8613.1197
    Presidente da SOS - DIREITOS HUMANOS
    Membro da CDAA da OAB/CE
    www.sosdireitoshumanos.org.br

  • paulo henrique  
    10/01/2010 14:19

    estamos ai para ajudar. a fortaleçer a uniao da juventude socialista

    viva o 51 aniversario da revoluçao cubana

    viva fidel e chaves. rumo ao socialismo do seculo 21.

NORMAS DE USO DOS COMENTÁRIOS

Comentem as matérias, façam sugestões, elogios ou mesmo reclamações, troquem idéias, este é o lugar para opinar!

Os comentários não serão respondidos por email, só aqui mesmo; se quiser saber se alguém respondeu ao seu comentário, inscreva-se por email no Feed de comentários do artigo, ou então: VOLTE SEMPRE!

Obs.: Os comentários aqui exibidos não necessariamente refletem as opiniões do Blog.